Polvos foram flagrados saindo do mar e ‘caminhando’ na praia; vídeo

O comportamento, apesar de ainda misterioso, pode estar relacionados a águas tempestuosas.
Alguns pesquisadores acreditam que o comportamento pode estar relacionado à caça. (Imagem: SeaMôr Dolphin Watching Boat Trips New Quay/Facebook)


Tube News, via Socientifica
22/04/2020  07h51m
Alguns polvos, umas das criaturas mais inteligentes dos oceanos, foram vistos rastejando para fora da água. O comportamento, apesar de ainda misterioso, pode estar relacionados a águas tempestuosas.

O fato aconteceu há alguns anos, mas até hoje intriga pesquisadores. O acontecido foi visto por um proprietário de uma agência de turismo e clientes após o pôr do sol na praia New Quay, em Ceredigion, no País de Gales.


Assista:

“Era como um cenário de fim dos dias”, disse Brett Jones, proprietário da agência de turismo, em entrevista à BBC. “Haviam entre 20 e 25 polvos na praia. Eu nunca os vi fora da água dessa forma.”

“Eles estavam saindo da água e rastejando na praia, mas realmente não sabemos por quê. Pode ser porque o mar estava agitado, mas eu nunca vi nada parecido antes, eles estavam andando na ponta de seus tentáculos”, complementou.

Não é incomum os polvos que vivem perto da costa atravessarem áreas secas. Grande parte dos polvos tem vida noturna, então é improvável que sejam vistos pelos seres humanos quando estão ativos.

Alguns pesquisadores acreditam que o comportamento pode estar relacionado à caça. É comum que, quando a maré baixa, polvos acabam indo ‘pescar’ nas poças de água que ficam para trás. Outros pesquisadores, contudo, acreditam que o motivo pode ser outro.

De acordo com Mandy Reid, especialista em cefalópodes, o comportamento dos polvos do País de Gales não se enquadra nessa categoria. Mudanças em seu ambiente poderiam desorientá-los: por exemplo, águas turbulentas normais não seriam um problema para polvos, mas uma grande tempestade nos mares poderia mudar seu ambiente significativamente o suficiente para confundi-los.

Salvando os polvos

As pessoas que presenciaram a ação dos polvos tomaram medidas para evitar uma catástrofe para o grupo que se aventurou para fora da água. “Reunimos aqueles que estavam completamente fora da água e os colocamos de volta na água no final do píer, na esperança de impedir que fiquem presos”, disse Jones. Mesmo assim, ele disse que descobriu, ainda, vários polvos mortos na praia na manhã seguinte.

Os polvos têm brânquias e, portanto, devem estar na água para respirar, mas podem sobreviver por um curto período de tempo fora da água, enquanto a pele permanecer molhada (alguns minutos no máximo). Portanto, seja qual for o verdadeiro motivo que os levou a sair da água, foi uma caminhada praticamente suicida.

Postar um comentário

0 Comentários