Homem ataca pessoas na London Bridge, em Londres

Polícia confirmou as mortes e afirmou que outras três pessoas estão sendo tratadas de ferimentos no hospital. Prefeito de Londres afirmou que ação parece ser um incidente isolado, que a polícia trata como ataque terrorista.
Policiais rodeiam homem na London Bridge em vídeo divulgado em rede social — Foto: @HLOBlog via AP

Tube News
29/11/2019  14h10m
Duas pessoas morreram após um esfaqueamento perto da London Bridge, em Londres, nesta sexta-feira (29), em incidente que a polícia trata como ataque terrorista. O homem apontado como autor do ataque foi morto por disparos da polícia. Outras três pessoas foram hospitalizadas.

Assista:


À noite, horas depois do ataque, a polícia identificou o autor como Usman Khan, de 28 anos. Ele era conhecido das autoridades locais e chegou a ser condenado em 2012 por crimes de terrorismo. Policiais fizeram buscas no bairro onde ele vivia.

Imagens postadas em redes sociais mostraram policiais armados no local que aparentemente retiram pessoas de cima de uma outra, deitada no chão da ponte, antes de atirar nela a pouca proximidade, de acordo com o jornal "The Guardian".

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, informou que o ataque está sendo tratado como um incidente isolado e que a polícia não busca outros suspeitos. Inicialmente, havia suspeita de que o homem usava um colete explosivo no momento do ataque, mas a polícia concluiu que o colete que ele vestia não continha explosivos.

A London Bridge foi fechada e esvaziada e a estação de metrô da ponte foi temporariamente fechada.

A London Bridge, um dos principais pontos turísticos de Londres, é uma ponte sobre o rio Tâmisa, localizada no centro da capital britânica. Ela fica perto do Borough Market, um antigo mercado de comidas também muito frequentado por turistas.

No momento do incidente, uma mulher, Karen Bosch, estava num ônibus na ponte, e contou à rede BBC o que aconteceu: "O ônibus parou repentinamente porque havia pessoas correndo pela ponte na rua, meio que olhando por cima dos ombros e filmando atrás deles. Parecia que havia uma briga acontecendo... pessoas brigando entre si. E então percebi que eram policiais lutando com um homem alto e barbudo. Estava com minha bebê, então a movi para trás da escada [do ônibus] para deixá-la segura. Depois, houve dois tiros ou dois estouros altos, acho que foram tiros", contou.

"Então o cara estava deitado no chão. Ele puxou o casaco para trás, o que mostrou que ele tinha algum tipo de colete por baixo [não sei] se era um colete de proteção ou algum tipo de colete explosivo. A polícia então se afastou rapidamente. No ônibus, estávamos em pânico porque, neste momento, estávamos quase tão perto quanto a polícia. E ele estava meio que deitado, puxando o casaco para trás e a polícia estava gritando e se afastando dele", completou. A polícia mais tarde disse acreditar se tratar de um falso colete explosivo.

'Terrorismo é covarde e vil', diz prefeito

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, pediu aos londrinos que "permaneçam vigilantes" e denunciem "qualquer coisa suspeita" à polícia.

"O terrorismo é covarde e vil. Nós devemos - e ficaremos - unidos e resolutos frente ao terror. Aqueles que buscam nos atacar e nos dividir nunca terão êxito", declarou Khan.

Em comunicado, o premiê britânico, Boris Johnson, agradeceu à polícia e aos serviços de emergência pela "resposta imediata" ao ataque, que foi considerado "contido" por ele. Johnson afirmou que o incidente está sendo investigado, e que "qualquer pessoa envolvida nesse crime e nesses ataques será caçada e levada à Justiça".

"Este país nunca será acovardado, dividido ou intimidado por esse tipo de ataque - e nossos valores, nossos valores britânicos, prevalecerão", declarou Johnson.

A Casa Branca também condenou o ataque e prometeu "total apoio" ao Reino Unido.

"Os Estados Unidos condenam fortemente todos os atos terríveis de violência contra pessoas inocentes, e prometemos nosso total apoio ao nosso aliado, o Reino Unido", declarou a presidência americana em comunicado.

Este não é o primeiro ataque na London Bridge. Em junho de 2017, uma van atropelou pedestres ali e, em seguida, os terroristas esfaquearam várias pessoas no Borough Market. O atentado deixou 10 mortos, entre eles 7 vítimas e 3 suspeitos, e 48 feridos.

Postar um comentário

0 Comentários