Bolsonaro posa com criança no colo com arma de brinquedo

Criança com farda da PM mostra arma de brinquedo no colo de Bolsonaro durante formatura militar em SP.
Criança no colo de Bolsonaro aponta arma de brinquedo para o alto durante evento de formação de sargentos da Polícia Militar de São Paulo — Foto: Reprodução/TV Globo

Tube News, via G1
11/10/2019  14h22m
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) pegou uma criança no colo, vestida com uma farda da PM paulista, durante a cerimônia de formatura de sargentos da Polícia Militar de São Paulo, no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista. Enquanto segurava a criança, o menino pegou uma arma de brinquedo nas mãos e apontou para o alto. A ação recebeu um sinal de positivo do presidente.

Bolsonaro ficou no palco ao lado do governador paulista João Doria (PSDB) e do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales. Ele foi aplaudido pelo público diversas vezes e chegou a tirar selfies com os policiais e seus familiares durante o evento.

Em seu discurso, o presidente fez questão de enaltecer os policiais militares. "Outros que me antecederam criticaram as atuações dos policiais. Eu os saúdo e os louvo. Aqui, lá e em qualquer lugar do Brasil e do mundo. Reconheço o heroísmo de vocês", disse.

Não é primeira vez este ano que crianças aparecem com réplicas de brinquedo de armas em eventos públicos em São Paulo. O artigo 26 do Estatuto de Desarmamento proíbe a fabricação, a venda, a comercialização e a importação de brinquedos, réplicas e simulacros de armas de fogo. A exceção prevista na lei de 2003 se dá apenas para instrução, adestramento ou coleção de usuário autorizado. Não há, no entanto, regulamentação sobre o porte.

No Desfile de 9 de Julho

No Desfile de 9 de Julho, quando São Paulo comemora a Revolução Constitucionalista, crianças fardadas mostraram armas de brinquedo durante a apresentação oficial em frente ao Obelisco Mausoléu aos Heróis de 1932, no Ibirapuera. Na ocasião, o Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito civil para investigar a utilização de réplicas de armas de fogo por crianças fardadas durante o desfile.

O promotor da Infância e Juventude Eduardo Dias Ferreira se baseou em um artigo da Constituição e no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para pedir esclarecimentos ao poder público em um prazo de 30 dias.

“Considerando que o artigo 227 da Constituição Federal declara que ‘é dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, a educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de coloca-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão’”, diz no texto.

A Polícia Militar respondeu, por meio de nota, que "recebeu a documentação do MP, que será analisada e respondida".

Questionada na época do episódio, a assessoria da Polícia Militar assegurou que a arma não era verdadeira e que os pais serão orientados a não mais deixarem seus filhos portarem armas de brinquedo em futuros desfiles. A PM disse ainda que "valoriza as crianças que têm orgulho em vestir a farda de seus verdadeiros heróis" e que "motiva as crianças a desfilarem na homenagem do Nove de Julho como forma de incentivar seu patriotismo e civismo."

Postar um comentário

0 Comentários