Brasil | 22 estados e o DF fazem atos em apoio a Bolsonaro

Até por volta de 17h, ao menos 22 estados e o DF tinham registrado manifestações em 122 cidades. Grupos defendem propostas como as reformas ministerial e da Previdência e pacote anticrime.
BRASÍLIA, 10h34: Manifestantes se reúnem em frente ao gramado do Congresso Nacional — Foto: Fernanda Calgaro/G1
Tube News, via G1
26/05/2019  16h26m - Atualizado as 17h26m
Ao menos 122 cidades em 22 estados e no Distrito Federal tiveram protestos entre a manhã e a tarde deste domingo (26) em defesa do presidente Jair Bolsonaro e de medidas do governo, como a reforma da Previdência e o pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro.

As convocações ganharam força após os protestos em defesa da educação do último dia 15, contra os cortes anunciados pelo governo para os ensinos superior e técnico federais.

Grupos de manifestantes saíram em passeatas e carreatas a partir desta manhã levando bandeiras do Brasil e faixas com frases de apoio a propostas apresentadas pelo governo de Bolsonaro. Até a última atualização desta reportagem, os atos eram pacíficos.

Os protestos também apoiavam a reforma ministerial do governo Bolsonaro, com redução de 29 para 22 no número de ministérios. Houve, ainda, grupo de manifestantes no Rio de Janeiro que pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e contra a democracia.

Bolsonaro fala em 'recado' para quem temia 'velha política'

Neste domingo, por volta de 14h, 55 cidades em 12 estados e no Distrito Federal tinham tido protestos. No dia das manifestações em defesa da educação, às 13h07, 146 cidades de todos os 26 estados e do Distrito Federal tinham registrado atos

Ao participar de culto no Rio de Janeiro ainda durante a manhã deste domingo, o presidente Jair Bolsonaro disse que as manifestações pró-governo são um "recado" aos que "teimam com velhas práticas" e, segundo afirmou, não permitem que o "povo se liberte". O presidente disse que a manifestação era "espontânea", tinha pauta definida e respeitou leis e instituições.

No Rio, o ato se concentrou na Avenida Atlântica, na orla de Copacabana. Manifestantes usavam, principalmente, roupas com cores verde e amarelo e carregavam bandeiras do Brasil. Vários carros de som se concentraram em dois pontos: na altura do Posto 5 e em frente à Rua Xavier da Silveira.

Por volta de 11h30, o ato se espalhava por sete quarteirões, com dois quarteirões cheios em cada extremo e com três mais espaçados entre eles, da Rua Sá Ferreira até perto da Rua Barão de Ipanema.

Parte dos manifestantes pedia o fechamento do Congresso, o que é ilegal, inconstitucional e viola a democracia.

No sul do estado do Rio de Janeiro, ao menos três cidades também tiveram protestos: Resende, Volta Redonda e Três Rios.

Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense cerca de 400 pessoas se reuniram em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, segundo organizadores. Já em Macaé, os organizadores estimam que 2 mil pessoas estivessem participando de atos pró-Bolsonaro nesta manhã.


A cidade de São Pedro também contou com ato, mas organizadores e PM ainda não divulgaram estimativas.

Em Brasília, por volta das 9h, parte do grupo se concentrava no Museu da República, na região central da capital. Outra parte foi para o gramado do Congresso Nacional. Segundo a Polícia Militar do DF, às 10h30 cerca de 2 mil pessoas estavam na Esplanada. Às 11h20, a corporação já falava em 10 mil manifestantes.

Na Avenida Paulista, região central de São Paulo, os manifestantes começaram a se reunir no início desta tarde nas proximidades do prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Ao menos cinco carros de som foram levados para o ato.

No interior do estado, manifestantes de Campinas encheram o Largo do Rosário, na região central. A organização estimou 5 mil participantes, enquanto a PM calculou 3 mil.

Em Indaiatuba, ato no Parque Ecológico reuniu entre 200 e 300 pessoas, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa. Em Sumaré, manifestantes realizaram passeata na região da Praça das Bandeiras, no Centro.

Em Sorocaba, o ato ocorreu em frente à Prefeitura da cidade.

Em São Carlos, os manifestantes se reuniram na praça do Mercadão. Segundo a organização do evento, por volta das 10h30 cerca de 500 pessoas participavam do ato. Já a Polícia Militar calculou cerca de 300.

Em Bauru, às 10h20, aproximadamente 100 carros e 30 motos estavam agrupados em carreata, segundo os manifestantes. Todo o trajeto era acompanhado pelo helicóptero da Polícia Militar.

Em São José do Rio Preto, os manifestantes se reuniram em frente ao Mercado Municipal, no centro da cidade. Segundo os organizadores, 1500 pessoas participaram do ato. Segundo a PM, que acompanha a manifestação, 1 mil pessoas participaram.

Em Fernandópolis, de acordo com organizadores, 100 pessoas participaram da manifestação, que acabou às 10h30. A Polícia Militar estima o público em 50.

Em Araçatuba, 1 mil pessoas participaram do ato, segundo a organização e PM. A manifestação terminou por volta das 11h30. Cerca de 300 pessoas de Birigui, segundo organização, se juntaram ao protesto. De acordo com a PM eram 80.

Em Jales, a organização do ato contou 80 participantes. A PM não divulgou estimativa.

Em Mogi das Cruzes, o grupo começou a se reunir às 10h na Avenida Cívica. Os manifestantes se revezam em discurso no microfone com palavras de apoio a Bolsonaro e às medidas do governo. De acordo com a Polícia Militar eram cerca de 200 pessoas. Segundo a organização, o número de participantes variava entre 250 e 300 pessoas.

Em Piracicaba, manifestantes se reuniram no Centro. Havia um carro de som, vários cartazes e camisetas nas cores da bandeira do Brasil. Às 11h35, organizadores e Guarda Municipal estimavam adesão de pelo menos 2,3 mil pessoas.

Em Jundiaí, moradores se reuniram no pontilhão da Avenida Nove de Julho. Segundo o organizador, o ato foi realizado a favor da Reforma, do MP 870, que reduz a quantidade de ministérios, da investigação do judiciário e do pacote anticrime. De acordo com a organização, aproximadamente mil pessoas estiveram no local. A PM estimou 300 pessoas.

Na região central de Ribeirão Preto, a Polícia Militar estimou uma adesão de 6 mil pessoas ao movimento e os organizadores, de 7 mil manifestantes. A dispersão ocorreu por volta das 11h45.

No Vale do Paraíba, moradores de Jacareí se reuniram por volta das 10h30 na Praça Charles Gates. Segundo a organização do evento, cerca de 450 pessoas participam do ato. A Polícia Militar contabilizou cerca de 100.

Cerca de 500 pessoas foram ao Parque do Povo de Presidente Prudente para participar da manifestação, segundo organizadores.

Em Ilha Solteira, cerca 150 pessoas se manifestaram no Centro da cidade de acordo com a organização. A PM estima 400.

Araras teve ato com 350 pessoas, segundo organizadores. A PM fala em 100 manifestantes.

Também houve manifestação em São João da Boa Vista, com 250 pessoas, de acordo com a organização. Já a Polícia Militar estimou cerca de 50.

Em Salvador, o ato teve início por volta das 10h no Farol da Barra, e o grupo começou a se dispersar às 11h40. Os manifestantes cantaram o hino nacional e gritaram palavras de ordem, com pedidos de "avança, Brasil". A organização e a Polícia Militar não divulgaram estimativa de público.

Também houve ato em Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros da capital baiana, e em Itabuna, no sul do estado.

Em Juazeiro, foram 150 manifestantes, segundo a organização. A PM não divulgou estimativa.

Em Belo Horizonte, a concentração do protesto começou por volta das 10h, na Praça da Liberdade, na região Centro-Sul da capital. Os manifestantes se vestiram, em grande parte, de verde e amarelo. Organizadores estimam que 35 mil pessoas tenham participado do ato, mas a PM não divulga números.

Em Uberaba, na região do Triângulo Mineiro, cerca de 400 pessoas participavam do ato no fim da manhã, segundo organizadores. A Polícia Militar não fez estimativa de público.

Também houve protestos em Ipatinga, Timóteo e Governador Valadares, no Leste de Minas. Os atos foram pacíficos.

Em Varginha, cerca de 150 pessoas participaram da manifestação. Também houve atos em Poços de Caldas e Pouso Alegre, onde 150 veículos participaram de carreata.

Em Montes Claros, o ato na área central da cidade reuniu cerca de 500 pessoas, segundo a PM. Os organizadores não divulgaram números.

Organizadores do ato em Juiz de Fora informaram que cerca de 10 mil manifestantes compareceram. A PM não divulgou números.

Em Belém, manifestantes caminhavam pela Avenida Presidente Vargas. Eles carregavam bandeiras do Brasil e faixas em defesa de Bolsonaro e com críticas ao Congresso. A coordenação do evento afirmou que, ao final do ato, às 12h, cerca de 50 mil pessoas participavam. A Polícia Militar estima que às 10h55 o ato tenha reunido cerca de três mil pessoas.

Em São Luís, manifestantes se reuniram na Avenida Litorânea. O hino nacional foi executado, e bandeiras do Brasil se espalhavam pela via. De acordo com os manifestantes, mais de 1 mil pessoas participaram do ato. A PM não divulgou estimativa. Também houve uma manifestação a favor do governo Bolsonaro em Imperatriz.

Em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, por volta das 9h20 os manifestantes se concentravam em frente ao Polo Cultural (antiga Estação Ferroviária), no Centro.
Maceió, 11h: Manifestantes cantam hino nacional na Praça Vera Arruda — Foto: Magda Ataíde/G1

Em Alagoas, manifestantes percorreram a orla de Maceió. O grupo se concentrou às 9h30 na Praça Vera Arruda vestido de verde e amarelo. O ato seguia pacífico e, segundo a organização, às 12h, cerca de 20 mil pessoas estavam na manifestação. A Polícia Militar não acompanhava o protesto.

Em Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá, às 11h cerca de 300 pessoas protestavam, segundo os organizadores. A Polícia Militar informou que não vai divulgar números.

Em Foz do Iguaçu, região Oeste do Paraná, manifestantes começaram a se reunir por volta das 9h na Praça do Mitre vestidos com roupa verde e amarelo. No ato, foram usados dois caminhões que eram utilizados pelo Exército na década de 70 e agora pertencem a um colecionador. O protesto acabou às 11h30, e a organização estimou a participação de 2.500 pessoas.

No Acre, moradores do município de Cruzeiro do Sul começaram a se concentrar no Centro da cidade por volta das 8h. Com bandeiras do Brasil e do Acre, além de camisetas com fotos do presidente, os manifestantes ouviram o hino nacional e falavam palavras de ordem em apoio ao presidente. Ao menos 30 pessoas participam do ato, segundo a organização. A Polícia Militar não acompanha a manifestação.

No Vale do Itajaí, manifestantes se reuniram em frente à Igreja Matriz São Pedro Apóstolo, em Gaspar. Segundo a organização, houve a participação de 200 pessoas. Já a Polícia Militar calculou cerca de 100.

Em Fortaleza, manifestantes para uma carreata desde as 13h. Até as 14h15, a estimativa de número de participantes não havia sido divulgada pelos manifestantes nem pela Polícia Militar.

Manifestantes percorrem ruas de Vitória e Vila Velha. O protesto começou por volta das 14h, no bairro Praia da Costa, em Vila Velha. O grupo promete atravessar a Terceira Ponte para encontrar com pessoas que estão reunidas na Praia do Canto, na Capital.

Em Goiânia, um grupo de manifestantes realiza um ato que pede a aprovação da reforma da previdência e do "pacote anticrime". Eles se reúnem em frente à sede da Polícia Federal. Os manifestantes começaram a se concentrar por volta de 14h e iniciaram o protesto pontualmente as 15h. Não há estimativa de participantes.

Em Natal, manifestantes se posicionam favoravelmente à reforma da previdência, ao pacote anticrime e à manutenção do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) nas mãos do ministro Sérgio Moro. Ato parecido acontece em Mossoró. Não há estimativa de participantes nas duas cidades.

Em Porto Alegre, manifestação apoia medidas como a reforma da Previdência, o "pacote anticrime" e o decreto das armas com cerca de 5 mil pessoas, de acordo com a organização. A Brigada Militar não fará estimativa.

Postar um comentário

0 Comentários