Joice Hasselmann "exorciza" Lula em gabinete

O petista ocupou o mesmo gabinete, de número 825 do Anexo IV, quando exerceu o mandato de deputado federal, em 1987.
Foto:MICHAEL MELO/METRÓPOLES
Tube News, via Metrópoles
05/02/2019  08h06m
A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), ao chegar à Câmara, nesta segunda-feira (4/1), tomou como primeira providência do seu mandato realizar uma cerimônia para que pastores e um rabino pudessem “promover uma benção” em seu gabinete. Segundo ela, o objetivo era “tirar o ranço” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do espaço.

O petista ocupou o mesmo gabinete, de número 825 do Anexo IV, quando exerceu o mandato de deputado federal, em 1987. Agora, o espaço foi sorteado para a deputado do PSL que fez campanha baseada no antipetismo e no combate à corrupção.

“Há vários motivos para isso. Primeiro, como eu disse, a consagração deste espaço que está para servir ao povo e também para servir a Deus, obviamente. Segundo, como vocês bem sabem, este gabinete pertenceu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e tudo que eu não quero é ranço desse passado no meu gabinete, em nenhum canto desse espaço”, disse a deputada.

Participaram da cerimônia realizada pelo rabino de Brasília Leib Rojtenberg e pela pastora da Igreja Batista Cyrene dos Santos Alves, os deputados evangélicos Professora Dayane Rodrigues (PSL-BA) e o deputado Sóstentes Cavalcante (DEM-RJ).




Ao final da cerimônia, a deputada disse ao Metrópoles que “não tem medo de nada”, mas que quando soube que o gabinete havia sido de Lula, decidiu se prevenir.

“Estamos colocando os anjos acampados aqui para este trabalho que eu sei que vai ser pesado”, disse. Ao ser questionada se a atitude poderia ser interpretada como um possível estímulo ao ódio, o que não é pregado pelas religiões representadas no local, a deputada disse que não existe essa relação.

“Ódio a outro ser humano? Ódio ao Lula?”, questionou. “O Lula é meu arqui-inimigo. Isso aí todo mundo sabe”, disse Hasselmann. “Eu lutei e vou continuar lutando contra esta corja que assaltou o Brasil”, completou.

“Não se trata de eu nominar A, B ou C. Trata-se do Lula, o pai do maior esquema de corrupção da história do país”, justificou. “Qualquer um que coloque brasileiros na fila da morte pela corrupção, porque é isso que a corrupção faz, merece o meu desprezo”, completou.

Origens
As raízes europeias e israelitas dos presentes também foram assunto durante a cerimônia. A deputada aproveitou para informar ao rabino que conseguiu provar, por meio de uma investigação de DNA estimulada pelo ministro das Comunicações de Israel, Ayoob Kara, que suas origens são 100% de Israel, país que vem sendo cortejado pelo governo de Jair Bolsonaro e por toda a base evangélica do governo.

“Tantos anos lutando por Israel e eu nem sabia o porquê”, ressaltou.

“Começamos uma investigação, fizemos um teste de DNA e eu sou 100% judia, de pai e de mãe, de avô e de vó.”


Nenhum comentário

Deixe sua opinião, sempre com respeito: