Bebê e 2 crianças morrem após desabamento em Mauá

Barranco desmoronou sobre casas no começo da noite deste sábado (17). Segundo a Prefeitura, 13 deslizamentos foram registrados por causa da chuva.
Bombeiros fazem buscas por vítimas de desabamento em Mauá, na Grande SP, na madrugada deste domingo (17) — Foto: Reprodução/Twitter/BombeirosPMESP
Tube News, via G1
16/02/2019  06h09m
Uma bebê de 11 meses e duas crianças morreram e outra está desaparecida após o desabamento de duas casas, em Mauá, na Grande SP, por causa da forte chuva que atingiu a cidade na noite de sábado (16). Os corpos estavam soterrados e foram resgatados na madrugada deste domingo (17). Os bombeiros continuam as buscas pela 4ª vítima.

Segundo a Prefeitura de Mauá, 13 deslizamentos de terra e 5 desabamentos foram registrados na cidade desde a noite de sábado. Dois deles com vítimas.

Um menino de 8 anos e a irmã dele, de 11 meses, estão entre os mortos. Eles foram atingidos pelos escombros da casa onde moravam, na Avenida Cidade de Mauá, no Jardim Zaira, após um deslizamento de terra.

"O barranco da casa de cima despencou e derrubou a laje da casa de baixo sobre os moradores", afirmou o secretário de governo da Prefeitura de Mauá, João Veríssimo.
Bombeiros buscam por vítimas de desmoronamentos em Mauá, na Grande SP, na madrugada deste domingo (17) — Foto: Reprodução/TV Globo


A mãe das crianças foi resgatada com uma contusão no ombro ainda durante a noite. Um homem de 41 anos também foi atingido e teve uma fratura exposta. Ele foi encaminhado ao Pronto-Socorro.

Em outro desabamento no mesmo bairro, na Rua Ane Altomar, outras duas crianças também foram soterradas. Um menino foi resgatado sem vida por volta das 5h e a outra criança segue desaparecida. A mãe delas foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).


Onze viaturas do Corpo de Bombeiros foram para o local, com 21 bombeiros. Cães farejadores também foram enviados para a ocorrência. A Defesa Civil foi acionada.

Segundo o secretário de governo, as buscas continuaram pela madrugada com cautela. "Ainda há risco de novos deslizamentos", disse Veríssimo.

Outras vítimas foram resgatadas e levadas para o Pronto-Socorro do Hospital Nardini. A Prefeitura ainda não contabilizou o número total de feridos.

Áreas do entorno foram interditadas e 5 famílias tiveram que deixar suas casas. Os desabrigados foram encaminhados para casas de familiares.
Motoristas enfrentam ponto de alagamento na Avenida 23 de Maio, próximo à Praca da Bandeira, no Centro de São Paulo, durante forte chuva que atinge a capital paulista na tarde deste sábado (16) — Foto: Fábio Vieira/FotoRua/Estadão Conteúdo


Enchentes na capitalO Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo colocou toda a capital paulista em estado de atenção para alagamentos das 16h51 deste sábado (16) até as 22h20.

Durante todo o dia, o Corpo de Bombeiros recebeu 147 chamados para queda de árvore. Além disso, foram registrados 62 pontos de enchente e 81 deslizamentos/desabamentos.

A Avenida Anhaia Mello, na Zona Leste de São Paulo, ficou alagada. Três pessoas chegaram a ficar ilhadas, mas foram resgatadas e deixadas em segurança pelo Corpo de Bombeiros.

Na Rua Marcial, na Mooca, um muro desabou e atingiu uma pessoa, que recusou o atendimento do Corpo de Bombeiros.

Por causa de um alagamento, os trens da linha 7-Rubi estão circulando por apenas uma via, e a velocidade está reduzida no trecho entre Francisco Morato e Jundiaí.
Árvore cai e destroi casa em São Caetano do Sul após temporal — Foto: Nivaldo Lima/Estadão

Aeroporto ficou fechadoO temporal causou estragos desde o início da manhã de sábado. O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da capital, interrompeu temporariamente seu funcionamento. São Caetano do Sul, no ABC, também sofreu com a chuva forte.

Pelo menos 15 casas foram atingidas por um deslizamento de terra na Rua Pandalhos, no Jardim Ângela, na Zona Sul de São Paulo. Ninguém ficou ferido, segundo os bombeiros.

Nenhum comentário

Deixe sua opinião, sempre com respeito: