Brumadinho: equipes de resgate encontram sete corpos

Por volta das 20h, prefeito de Brumadinho disse que sete corpos haviam sido encontrados até o momento pela equipe de resgate.
Barragem da Vale em Brumadinho ao romper. (Foto: Jornal Nacional/ TV Globo)

Tube News, via Jornal Nacional e TV Globo

25/01/2019  22h07m
O prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo Barcelos, disse, por volta das 20h30, que as equipes de resgate haviam encontrado, até o momento, sete corpos. Os Bombeiros de Minas Gerais declararam que até 300 pessoas podem estar desaparecidas.

Segundo a mineradora Vale, havia empregados na área administrativa, que foi atingida pelos rejeitos. A lama também chegou à comunidade da Vila Ferteco e deixou um cenário de destruição. Várias casas foram atingidas.

Veja vídeo:


"A pousada não existe mais?", pergunta o repórter. "Não, nem a pousada, nem a casa que estava ali”, diz uma moradora. “Quando chegamos ali deparamos com isso aí. Meu irmão trabalha numa pousada que tinha aqui. Eu fui salvar a menina que estava precisando de ajuda lá na lama, lá no meio das coisas”, conta um morador. “Nós temos familiares aqui, que trabalham na pousada Nova Instância. Foi levou, levou tudo, não sobrou nada. Então, quem estava trabalhando ali... Tem a esposa do Gelson, tem meu irmão. Tá tudo desaparecido", fala outro.

Escoltadas pela polícia, ambulâncias foram deslocadas para a região para fazer o socorro às vítimas. Um campo de futebol, em Brumadinho, foi usado como base para helicópteros que ajudavam no resgate. Um grupo estava ilhado no meio de muita lama, perto do local da tragédia. Alguns usavam uniforme de trabalho e acenavam para nossa equipe como se pedissem socorro.

Kelly trabalha numa fazenda perto da barragem. Estava em casa com o filho, de seis meses, quando a lama chegou: “Eu vi que a luz acabou. Vim olhar para o poste, porque a luz tá acabando aqui direto. Aí, quando eu olhei pra trás, tudo caindo”.

Ela conta que uma vizinha, que também saiu às pressas, não conseguiu correr: “A menina ficou pra trás, eu gritando ela. Ficou presa embaixo de uns negócios que caiu em cima da perna dela e teve que tirar ela. Está viva, ela foi para o hospital".

Turistas que visitavam o centro de arte contemporânea Inhotim, foram pegos de surpresa.

“Vim com a minha esposa. Nós tÍnhamos passado a manhã em Inhotim e estava na hora do almoço. Quando nós íamos para o restaurante, ele foi bloqueado e um funcionário avisou que havia tido a ruptura de uma barreira e estavam evacuando o parque. Muitas pessoas, principalmente funcionários, muito preocupados; porque tinham parentes que trabalhavam na usina e no refeitório que parece que foi atingido. Pessoas chorando... Então, foi uma situação extremamente angustiante. Eu tentei sair de carro; algumas pistas bloqueadas. E me avisaram que seria mais interessante eu ficar no parque porque, sendo uma região alta, haveria mais proteção", conta o servidor público Fernando Ribeiro.

No maior hospital de pronto-socorro, em Minas, Belo Horizonte, foi acionado o plano de assistência às vítimas de tragédias. Enfermeiros e bombeiros já ficavam na porta. Parentes de pessoas que estão internadas foram orientadas a deixar o hospital para que as áreas ficassem mais livres. E a recomendação era prioridade no atendimento às vítimas da tragédia.

No início da tarde, dois helicópteros levaram duas mulheres para o HPS: uma menina de 15 anos e uma mulher de 22. Segundo informações, uma delas teve uma fratura na bacia e passou por uma cirurgia.

No meio da tarde, outras duas vítimas; um casal também foi levado para o local.

Algumas pessoas chegavam nervosas à procura de parentes ou amigos que trabalham na região do rompimento. Um deles não tinha notícias do colega, maquinista que estava em um trem carregando rejeitos. "Eu já liguei e o telefone dele só da fora de área. A gente tá tentando em contato com os amigos. A gente sabe que ele é uma vítima, mas não sabe a situação em que ele se encontra", falou.

Dois irmãos não conseguiam comunicação com um irmão que estaria dentro da empresa Vale, nesta sexta (25), trabalhando numa empresa terceirizada. "Sempre conseguimos. Hoje ele não atende. Sem notícias", afirma Julio Cesar Godoy.

Nenhum comentário

Deixe sua opinião, sempre com respeito: