Homem descobre que coriza era vazamento de fluido cerebral

Greg Phillpotts descobriu que 'alergia' que já durava cinco anos era na verdade um 'vazamento de líquido cefalorraquidiano'.
Fotos: Josh Chapin
Tube News, via R7 e Josh Chapin
04/12/2018 19h55m
O homem acima sofreu com um problema de coriza incessante durante os últimos cinco anos. No entanto, o que para Greg Phillpotts aparentava ser uma alergia era na verdade um vazamento proveniente do cérebro.

O morador do Condado de Johnston, na Carolina do Norte, contou o drama vivido para a reportagem do canal ABC 11. Recentemente, por exemplo, preparava o jantar para a família, quando tudo veio abaixo.

"Você poderia estar em qualquer lugar. Poderia estar no avião, falando com qualquer pessoa e essa coisa apenas saia para fora do seu rosto", explicou.

Nesse período, alguns médicos chegaram a diagnosticá-lo com pneumonia e bronquite. Greg inclusive começou a enfiar lenços de papel no nariz para amenizar o sintoma.

Até que, finalmente, ele encontrou Alfred Iloreta, médico do Hospital Monte Sinai, em Nova York. Iloreta descobriu que a coriza era proveniente de um "vazamento de líquido cefalorraquidiano".

"É o vazamento de fluido que envolve o cérebro para amortecê-lo, principalmente para protegê-lo de choque ou qualquer coisa assim", explicou o médico.

A doença pode ocorrer espontaneamente, como no caso de Greg, ou decorrente de algum trauma. "Às vezes, esse vazamento pode evoluir para uma infecção. Assim, as bactérias viajam do nariz para o cérebro, resultando em meningite", apontou Iloreta.

Por isso, Greg foi submetido a uma cirurgia minimamente invasiva no crânio, que utilizou um pedaço de tecido do corpo dele para corrigir o problema.

"Você já esteve tão congestionado que não conseguia respirar? De repente você pode respirar de novo e que alívio isso foi!", comemorou o paciente.

Iloreta ainda fez um alerta: nariz escorrendo apenas por uma narina, aliado a gosto salgado e dor de cabeça intensa podem ser muito mais do que uma simples coriza. Procure um médico.

Nenhum comentário

Deixe sua opinião, sempre com respeito: