Fazenda de João de Deus é invadida em Goiás - Tube News

@otubenews

30 dezembro 2018

Fazenda de João de Deus é invadida em Goiás

Caso foi registrado na polícia como crime de dano e é investigado pela Polícia Civil. Médium foi denunciado por violação sexual e estupro de vulnerável, mas nega os crimes.
Sede da fazenda de João de Deus é invadida e depredada em distrito de Anápolis, Goiás — Foto: Arquivo Pessoal
Tube News, via G1
30/12/2018  07h17m
Fotos divulgadas neste sábado (29) pelo gerente de uma das fazendas de João de Deus, preso e denunciado por abusos sexuais durante tratamentos espirituais, mostram o local revirado após ser invadido e vandalizado, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. O caso foi registrado na Polícia Civil como um crime de dano e é investigado pela corporação. O médium está preso no Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

O advogado Ronivan Peixoto, que já representou o líder espiritual em outras ocasiões, foi quem registrou a ocorrência em uma delegacia da cidade. Ele contou que recebeu as fotos do gerente da fazenda, que encontrou o local arrombado e queria saber o que fazer.

“Ele chegou, viu a porta aberta e tudo revirado, fez as fotos e me mandou. Depois me ligou querendo fazer o que fazia. Tentei entrar em contato com a polícia em Goiânia para saber se havia tido alguma diligência no local, não consegui. Depois fomos à delegacia, recebi o retorno de que não havia tido nenhuma busca na fazenda e, por tanto, teria ocorrido uma invasão, mas um fato que motivou registrarmos esta ocorrência”
Sede da fazenda de João de Deus é invadida e depredada em distrito de Anápolis, Goiás — Foto: Arquivo Pessoal

“A princípio, o caseiro não teria percebido a falta de nada, só tudo revirado como se alguém estivesse procurando algo que não encontrou. Mas uma perícia da polícia deve apurar tudo direitinho”, disse.

O caso aconteceu na quarta-feira (26), na sede da Fazenda Agropastoril Dom Inácio, que fica no distrito de Sousânia, em Anápolis. Segundo consta no registro de ocorrência, o homem mora na propriedade, mas a 4 km da cidade.

De acordo com o relatório da polícia, o gerente informou que ao chegar à casa do médium na propriedade, viu que a porta dos fundos da casa tinha sinais de arrombamento e que todos os móveis estavam revirados e foram feitos atos de vandalismo, como “sofás rasgados, guarda roupas tiveram fundos quebrados, a banheira teve o suporte quebrado, todos os objetos dos quartos, cozinha e sala foram jogados no chão e todos os quadros foram retirados da casa”.
Sede da fazenda de João de Deus é invadida e depredada em distrito de Anápolis, Goiás — Foto: Arquivo Pessoal

Ainda de acordo com os relatos do gerente da propriedade à corporação, não houve arrombamento nos cadeados das porteiras, mas havia sinais de manobras de carro na entrada.

O delegado responsável pela região, Manoel Vanderic, informou ao G1, neste sábado, que o advogado registrou a ocorrência e o caso deve ser direcionado ao 4º Distrito Policial de Anápolis, que deve ser a delegacia responsável por apurar o caso.
Foto de João de Deus no registro do sistema penitenciário, em Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Situação atual

  • Ministério Público Estadual de Goiás denunciou João de Deus por violação sexual mediante fraude e estupro de vulnerável no dia 28 de dezembro;
  • Médium está preso desde o dia 16 de dezembro;
  • Ele é investigado por estupro, estupro de vulnerável, violação sexual mediante fraude e posse ilegal de arma;
  • João de Deus prestou depoimento para a Polícia Civil, quando foi preso, e ao MP-GO, no dia 26 de dezembro;
  • Esposa do médium foi ouvida pela Polícia Civil e disse que não sabia de crimes;
  • Defesa teve dois habeas corpus pelos crimes sexuais negados e foi ao STF; Justiça concedeu prisão domiciliar por posse de armas;
  • MP recebeu mais de 600 emails pelo endereço denuncias@mpgo.mp.br e identificou cerca de 260 vítimas em seis países;
  • Mulheres que denunciaram João de Deus ao MP tinham entre 9 e 67 anos ao serem abusadas, conforme relatos;
  • Polícia Civil colheu depoimentos de 16 mulheres. Ministério Público já ouviu mais de 100, até o dia 28 de dezembro;
  • Em operações em endereços ligados a ele foram achadas armas, pedras preciosas e mais de R$ 1,6 milhão;
  • Justiça determinou o bloqueio de R$ 50 milhões das contas de João de Deus;
  • Casa Dom Inácio de Loyola segue funcionando, mas registrou queda de 50% no movimento;
Postar um comentário