Brasil surpreende e conquista ouro com recorde mundial

Jovem time formado por Luiz Altamir, Fernando Scheffer, Leonardo Santos e Breno Correia faz prova espetacular, deixa os favoritos trás e baixa o recorde em mais de dois segundos: 6m46s81.
Foto: Satiro Sodré / SSPress / CBDA
Tube News, via Globo Esporte
14/12/2018 11h58m
Foi um feito espetacular! Azarão na final dos 4x200m livre, o jovem time brasileiro surpreendeu os favoritos Rússia, China e Estados Unidos e conquistou a medalha de ouro do Mundial de piscina curta (25m) de Hangzhou, na China, com direito a recorde mundial. O time formado por Luiz Altamir, Fernando Scheffer, Leonardo Santos e Breno Correia liderou de ponta a ponta e bateu na frente com o tempo de 6m46s81 - quase dois segundos abaixo do antigo recorde (6m49s04).

A prova foi uma das mais fortes em quatro dias de disputas na China. Além do ouro do Brasil, os outros dois times no pódio também nadaram abaixo do recorde mundial anterior. A Rússia levou a prata com 6m46s84 e a China, que contou com o astro multicampeão olímpico Sun Yang no time, ganhou o bronze com 6m47s53.

O impressionante na equipe brasileira é a juventude. Mais velho do quarteto, Leonardo Santos tem apenas 23 anos. Campeão do 4x200m livre no Pan de 2015 e integrante do Time Brasil nos Jogos Rio 2016, Luiz Altamir foi o mais experiente em competições internacionais do quarteto, mas também tem apenas 22 anos. Fernando Scheffer tem 20 e Breno Correia é o caçula com 19.

- É um sonho! Todo mundo aqui queria muito isso. Queríamos mais que todo mundo. A gente conseguiu! - vibrou Altamir, que não conseguiu conter as lágrimas após a prova.

- Nosso 4x100m livre já vem muito bem e, agora, acho que o Brasil vai olhar com carinho tabém para o 4x200m. A gente sai muito satisfeito por com o recorde mundial. A gente sabia qu eera algo possível, estamos muito felizes com o objetivo concluído - completou Breno Correia, que já tinha ido ao pódio com o bronze do 4x100m na abertura do Mundial.
Mundial de Hangzhou em piscina curta - Cesar Cielo — Foto: Satiro Sodré / SSPress / CBDA

A prova
O Brasil nadou praticamente toda a prova abaixo do recorde antigo. Luiz Altamir abriu muito forte e já mandou o recado para os adversários. O nadador brasileiro colocou quase um corpo de frente em relação ao antigo recorde mundial e passou os primeiros 200m na liderança, com parcial de 1m42s03.

Fernando Scheffer veio na sequência, chegou a perder a ponta por alguns metros para o americano Ryan Held, mas retomou o ritmo e também passou na frente com parcial de 1m40s99.

O terceiro na piscina foi Leonardo Santos, que substituiu Leonardo de Deus em relação ao time que nadou as eliminatórias e não deixou o ritmo cair. Competindo com Sun Yang, Léo sofreu pressão das equipes de Rússia e China, mas conseguiu entregar para Breno Correia como o Brasil ainda na luta pela primeira posição, parcial de 1m42s81.

O caçula do time fez então a mágica acontecer. Breno Correia foi espetacular na água. O baiano de 19 anos cravou a melhor parcial de todos os atletas na prova, com 1m40s98, e garantiu o ouro e o recorde mundial para o Brasil.

No mesmo dia em que a nova geração da natação brasileira mostrou força, o maior atleta da modalidade do país fez o que pode ter sido a última prova individual da brilhante carreira.

Dono de três medalhas olímpicas (um ouro e dois bronzes) e recordista de pódios do país em Mundiais (18), Cesar Cielo nadou a final dos 50m livre contra a nova geração internacional de velocistas não conseguiu ir além do sétimo lugar com o tempo de 21s20.

O ouro foi para o russo Vladimir Morozov, que cravou 20s33. A prata ficou com o americano Caeleb Dressel (20s54) e o bronze com o sul-africano Brad Tandy (20s94).

Postar um comentário

0 Comentários