Black Mirror: Bandersnatch | Nós realmente escolhemos? - Tube News

@otubenews

29 dezembro 2018

Black Mirror: Bandersnatch | Nós realmente escolhemos?

Mudando o passado, presente e futuro com o longa interativo da Netflix.
Black Mirror: Bandersnatch/Netflix: Divulgação
Tube News, via Geek of Nerd
29/12/2018  20h20m
Em uma produção original Netflix lançada ontem (28), nos trouxe um filme interativo, Black Mirror: Bandersnatch, onde é permitido ao assinante do serviço de streaming decidir numa questão de 10 segundos o que acontece no decorrer da trama, resultando em consequências que afetam o futuro.

Stefan, personagem interpretado por Fionn Whitehead (Dunkirk), um jovem programador começa a adaptar um romance fantástico para videogames baseado na obra escrita por Jerome F. Davies, (personagem fictício do universo Black Mirror) e põe em questão a própria realidade. Uma história alucinante com múltiplos finais. Sim, não existe apenas um final.

Logo de cara, você recebe instruções de como proceder ao fazer escolhas por meio de uma breve explicação narrada onde a pessoa pode assinalar usando mouse, controle remoto ou o próprio toque na tela do celular ao executar as escolhas durante o filme, para você perceber aonde está se metendo.

As escolhas são em certos momentos básicas e cruciais, como por exemplo decidir o que o personagem vai comer no café da manhã!

Como sabemos, Black Mirror nos traz a premissa de um mundo com tecnologia avançada com episódios independentes onde quais seriam as consequências da tal tecnologia causadas pelas mãos dos seres humanos, seja para o bem ou para o mal.

Neste filme vimos até onde é possível ter o livre arbítrio. Tendo empatia pelo personagem principal, sua busca para conseguir projetar o jogo, seus traumas e conversas com sua psicóloga e relacionamento conturbado com seu pai. São escolhas que nós tomamos no longa que nos causa um certo nervosismo, indecisão momentânea e procurando entender se realmente você tem o total controle ou se é apenas uma ilusão do espectador.

Uma idéia de trazer algo interativo para o usuário hoje em dia realmente é algo muito bom, pois as pessoas são facilmente influenciadas, fazendo escolhas sem medir as consequências, fazer aquilo para aproveitar o momento, pois se vive uma vez.

Conflitos, dramas, desespero tudo é levado em conta neste filme, e as escolhas que tomamos pode ter uma relevância lá na frente, ou fazer com que você volte tudo de novo e vá por outro caminho. Mas claro, nada que possa atrapalhar a experiência e fazendo você emergir cada vez mais no enredo, desde os clichês até os plots twists.

Black Mirror: Bandersnatch traz ao espectador uma ótima experiência dirigida por David Sladee escrito por Charlie Booker, que nos deixa com vários sentimentos e sensações variadas que só o universo de Black Mirror é capaz de fazer com os fãs da série.
Postar um comentário