Vídeo mostra jogador Daniel em festa de suspeitos - Tube News

@otubenews

06 novembro 2018

Vídeo mostra jogador Daniel em festa de suspeitos

Daniel também mandou fotos deitado ao lado de Cristiana Brittes para amigo. O marido dela, Edison Brittes Júnior, confessou o crime.
Vídeos mostram jogador Daniel em festa de suspeitos antes do crime — Foto: Reprodução/RPC
Tube News, via G1, RPC e R7
06/11/2018  11h45m
Vídeos gravados horas antes da morte do jogador Daniel Corrêia Freitas, de 24 anos, mostram o atleta na comemoração da família de Edison Brittes, que disse em entrevista à RPC Curitiba, ter matado o jogador.


Nas imagens, Daniel aparece na festa de aniversário da filha de Edison, Allana Brittes. A festa começou na sexta-feira (26), em uma casa noturna de Curitiba, e continuou na manhã de sábado (27), na casa da família, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba.


Daniel, segundo a Polícia Civil, foi espancado na casa e, depois, levado para um matagal, onde o corpo dele foi encontrado. A morte foi causada por ferimento por arma branca, de acordo com a apuração preliminar do Instituto Médico-Legal (IML).

Edison Brittes disse que matou o jogador, sob descontrole emocional, porque Daniel tentou estuprar Cristiana. O empresário, a filha e a esposa foram presos temporariamente.



Depoimentos
Nesta segunda-feira (5), a Polícia Civil começou a ouvir os suspeitos de envolvimento no crime. Allana e Cristiana Brittes, filha e esposa de Edison, prestaram depoimento.

Segundo a polícia, o depoimento de Edison também estava previsto para o mesmo dia mas foi adiado, sem data definida.

Cristiana falou durante uma hora e meia. Disse que, enquanto dormia, acordou com Daniel deitado em cima dela e que começou a gritar assustada.

Segundo Cristina, ele estava "excitado", "trajando apenas cueca" e passava a mão pelo corpo dela. A mulher de Edison afirmou também o jogador dizia: "Calma, é o Daniel".

Cristiana relatou ainda que o marido começou a agredir o jogador ainda dentro do quarto e que ela apenas pedia para que parassem as agressões.

A defesa da família de Daniel nega que ele tenha tentado estuprar Cristiana.

Já Allana contou que, quando entrou no quatro, viu o jogador apenas de cueca e o pai dela segurando o jogador pelo pescoço. No depoimento, ela contou que o pai dizia que Daniel estava "na cama que ele dorme com a mulher, mãe das filhas dele".

Falou também que Daniel tentava dizer algo, mas que não conseguia.

Uma gravação, obtida com exclusividade pela RPC Curitiba, mostra uma ligação feita por Edison Brittes Júnior a um amigo do jogador. A ligação foi feita na segunda-feira (29), logo depois que a polícia começou a ouvir os primeiros depoimentos na investigação do caso.

A gravação foi anexada nesta segunda-feira ao inquérito, segundo a polícia.

No telefonema, ele lamenta a morte de Daniel para o amigo.

EDISON: "Que tragédia. triste, muito triste. Mas a gente... pensa em uma forma de a gente poder ajudar e vamos fazer de tudo pra poder ajudar vocês também".

O empresário também diz ao amigo que Daniel saiu sozinho da casa da família.

EDISON: "Cara, a gente também não sabe o que aconteceu. Só que ele foi embora. Ele pegou, ele não saiu do celular, pegou e foi embora. Você viu o tamanho que é o terreno aqui da minha casa. Ele saiu aqui para a frente e foi embora. A gente não viu mais nada".

Na conversa por telefone com o amigo do jogador, o empresário diz que a família estaria abalada com o caso.

EDISON: "Nem fale, cara, o desespero. Minha filhinha, aqui, está no desespero também. A Allana, cara, meu Deus, a Allana está em choque, cara. Meu Deus, eu tive que dar até calmante para a Allana".

Ao final do áudio, Edison falou sobre o telefonema que fez à família do jogador após o crime, e contou sobre uma relação de amizade entre a família Brittes e Daniel.

EDISON:
"Meu Deus, sem palavras. Imagine, ele veio de longe só para vir no aniversário dela. Ele era uma pessoa muito querida pela gente".



Daniel
Daniel Corrêa Freitas nasceu em Juiz de Fora (MG), e jogou pelo Coritiba, em 2017. Ele estava emprestado pelo São Paulo ao São Bento, equipe que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

O jogador foi revelado pelo Cruzeiro e também jogou pelo Botafogo e pela Ponte Preta.

O corpo dele foi velado e enterrado em Conselheiro Lafaiete (MG), cidade onde mora a família.

Mensagens mostram 'linha do tempo' de Daniel momentos antes do crime
Mensagens trocadas entre o jogador Daniel e amigos mostram a "linha do tempo" do atleta momentos antes do crime. Daniel foi morto no fim de outubro em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

O empresário Edison Brittes Júnior confessou o crime, em entrevista à RPC. Ele alegou ter matado Daniel porque o jogador tentou estuprar a esposa do empresário, Cristiana Brittes.

Edison Júnior, de 38 anos, Cristiana, de 35, e a filha do casal – Allana Brittes, de 18 anos – estão presos na Delegacia de São José dos Pinhais. As prisões são temporárias e têm validade de 30 dias.

'Linha do tempo'
Daniel chegou a Curitiba às 21h30 de 26 de outubro, uma sexta-feira. Ele deixou as malas na casa de um amigo, tomou um banho e seguiu para a primeira festa da noite.

Depois, por volta da meia-noite, os dois foram para o aniversário de 18 anos de Allana, em outra casa noturna da capital paranaense. Eles tinham convites para o aniversário de Allana, que foram entregues pelo pai dela.

Às 5h40 da manhã de sábado, 27 de outubro, o amigo de Daniel foi embora. Então, o jogador disse que ia para a casa de Allana, onde a festa continuaria.

Às 6h36, Daniel mandou uma mensagem avisando o amigo que já estava na casa da aniversariante, em São José dos Pinhais.

Segundo uma testemunha que está sendo protegida pela Justiça, os convidados ficaram bebendo e ouvindo música.

A primeira pessoa a ir dormir foi Cristiana. Depois, outras pessoas também se recolheram. Ficaram na festa: Daniel, Edison Júnior e outras oito pessoas.

Às 8h07 da manhã de sábado, Daniel começou a mandar mensagens para outro amigo.

O jogador contou que estava na festa na casa de uma menina e que várias pessoas estavam dormindo. O amigo perguntou se ele estava bêbado, e Daniel respondeu com uma mensagem de áudio, dizendo que não muito.
Daniel trocou mensagens com amigo antes do crime. — Foto: Reprodução/RPC


Além disso, Daniel disse que, na casa, havia uma "coroa", que ia ter relações sexuais com ela – que era mãe da aniversariante. Ele ainda contou e que o pai, Edison Júnior, estava junto.

O amigo, então, alertou Daniel para o perigo de ser expulso da casa. Daniel mandou uma foto ao lado de Cristiana, que parecia estar dormindo.
Daniel trocou mensagens com amigo momentos antes do crime — Foto: Reprodução/RPC

Novamente, o amigo alertou Daniel que ele poderia apanhar do marido de Cristiana.

Foto
Às 8h34, Daniel mandou mais uma foto ao lado de Cristiana e disse ao amigo que teve relação sexual com ela.

No minuto seguinte, Daniel mandou a última mensagem: "O que aparecer amanhã é nóis". O amigo perguntou o que Daniel quis dizer, mas não recebeu respostas.
Daniel trocou mensagens com amigo momentos antes do crime — Foto: Reprodução/RPC

O corpo do jogador foi encontrado pela polícia duas horas depois, às 10h30 de sábado, em um matagal, com mutilações e sinais de tortura. Mas não havia identificação da vítima.

Em depoimento à polícia, um amigo de Daniel disse que ele e mais dois amigos criaram um grupo de mensagens no qual postavam fotos das mulheres que conquistavam. Geralmente a foto era tirada no momento em que a mulher estava dormindo

De acordo com a Polícia Civil, o órgão genital de Daniel foi cortado. O Instituto Médico-Legal (IML) apontou ferimento por arma branca como causa preliminar da morte.

O que disse o amigo
O amigo que hospedou Daniel disse à polícia que começou a ficar preocupado na noite de sábado porque o jogador estava desaparecido desde a festa, e os os dois tinham um compromisso.

Ele chegou a trocar mensagens com Allana, que relatou que Daniel tinha ido embora sozinho da casa dela.

No domingo, 28 de outubro, o amigo ficou sabendo que havia um corpo não identificado no IML. Ele reconheceu Daniel.

Contradições
A polícia tenta esclarecer o que ocorreu entre o começo da festa na casa de Allana até a morte de Daniel.

Pijama
As versões apresentadas pela família Brittes, até agora, possuem várias contradições.

A polícia disse que Cristiana aparecia nas fotos tiradas por Daniel com a mesma roupa e colar que estava nas fotos do aniversário na casa noturna. Edison tinha dado outra versão.

Em entrevista à RPC, Edison Júnior contou que, quando chegaram da festa, ele vestiu o pijama na esposa e a colocou para dormir.

Porta arrombada
O empresário afirmou que precisou arrombar a porta, que estava trancada, quando ouviu a esposa gritar por socorro.

Porém, em um vídeo gravado pela defesa da família Brittes, Allana disse que abriu a porta do quarto e flagrou Daniel com a mãe.

Arma do crime
Edison Júnior disse que a faca que usou para mutilar e matar Daniel sempre esteve no carro.

Mas, uma testemunha que presenciou as agressões na casa da família disse que ouviu outra pessoa gritar que Edison Júnior tinha pegado uma faca, em meio à confusão.

Edison Júnior também negou que tivesse algum outro tipo de arma em casa. Contudo, o empresário tem dois Boletins de Ocorrências (B.O.) registrados contra ele, neste ano, envolvendo arma de fogo.

Em um deles, de junho, Edison Júnior foi parado pela polícia por dirigir em alta velocidade em uma avenida da capital paranaense. No do B.O de janeiro, a polícia foi chamada após disparos na casa do empresário.

Sobre a amizade
Allana disse, no vídeo gravado pela defesa, que conhecia pouco Daniel.

Já a família do jogador confirmou que eles se conheceram quando Daniel jogava no Coritiba, em 2017.

Nas redes sociais, Daniel aparece como seguidor da família Brittes: pai, mãe e filha.

Nessa foto tirada na festa de 17 anos de Allana, no ano passado, Daniel está o lado da aniversariante.
Foto mostra que Daniel foi à festa de aniersário de 17 anos de Allana Brittes — Foto: Reprodução
Postar um comentário