Enem 2018 | Prova é cancelada após falta de energia em universidade - Tube News

@otubenews

04 novembro 2018

Enem 2018 | Prova é cancelada após falta de energia em universidade

Tocantins - Estudante relata que candidatos teriam passado mal porque os aparelhos de ar-condicionado pararam de funcionar. Caso foi registrado em Porto Nacional, a 66 km de Palmas.
Prova do Enem é cancelada em universidade de Porto Nacional — Foto: Reprodução
Tube News, via G1
04/11/2018  22h15m
A primeira prova do Enem aplicada neste domingo (4) foi cancelada numa universidade particular em Porto Nacional, a 66 km de Palmas. O estudante Flayo Matos disse que os candidatos foram liberados por volta das 14h, porque os aparelhos de ar-condicionado pararam de funcionar por causa da queda da energia elétrica.

O Inep confirmou que a prova foi de fato cancelada em razão da falta de energia elétrica. Disse que não haverá prejuízo aos participantes e que a prova será reaplicada nos dias 11 e 12 de dezembro desse ano.

A concessionária de energia elétrica no Tocantins, a Energisa, informou que o transformador de energia que alimenta o prédio é da própria faculdade, e que, neste caso, o problema foi na rede interna de responsabilidade do estabelecimento de ensino.

"As provas foram encerradas em torno das 14h, horário do Tocantins, devido a falta de ar-condicionado nas salas, gente passando mal, desmaiando, gente suando, aquele agonia em sala e comprometendo o desempenho dos alunos, que tiraram o fim de semana e largaram família para estudar e chegaram no dia da prova, e aconteceu um descaso daquele", disse.

Um vídeo feito por Flayo mostra vários jovens na porta da universidade após o cancelamento do exame.

A estudante Nayara Cristine Pereira Goffi morava em Porto Nacional, quando fez a inscrição do Enem, mas depois se mudou para Belém (PA) e precisou voltar à cidade do Tocantins só para fazer o exame. A preocupação dela é ter que voltar outro dia só para fazer a primeira prova.

"Achei um descaso com os alunos que vêm se preparando durante todo um ano e me pergunto o que será que vai acontecer com as pessoas que assim como eu, residem em outros estados".
Postar um comentário