Uma história sobre como fake news afetam a vida de um bairro - Tube News

@otubenews

25 outubro 2018

Uma história sobre como fake news afetam a vida de um bairro

A consequência do "Não sei se é verdade, mas vou repassar" é danosa e perigosa.

Tube News
25/10/2018 08h05m
Moradores da Zona Norte de Porto Alegre cercaram uma delegacia nesta terça, incitados por uma notícia falsa. A mensagem que circulava pela internet dizia que um homem havia sido preso, suspeito de sequestrar crianças - mas a polícia não havia detido ninguém. Agentes foram atacados com pedradas. Confira as implicações do caso, narrado por Leandro Demori, editor-executivo do 'The Intercept'.

Veja a explicação por Leandro Demori:
"Um caso real: uma menininha do bairro Rubem Berta foi sequestrada e achada morta na segunda-feira. A polícia ainda investiga.

O caos das fake news: boatos começaram a se espalhar pelo Whats sobre uma "onda de sequestro de crianças" no bairro. As mães entraram em pânico até que, ontem à tarde, uma mensagem viralizou nos grupos sobre a prisão de um suspeito.

A população se juntou em torno da delegacia exigindo a cabeça do suposto preso. Porém, a polícia não tinham prendido ninguém. O crime sequer é investigado por essa delegacia.

E apesar de a polícia ter deixado que líderes comunitários entrassem na delegacia – que vasculharam o local e viram que não tinha ninguém preso –, as pessoas se convenciam por 5 minutos e depois voltavam a dizer que tinha alguém lá.

Policiais foram feridos por pedras. A polícia teve que dar tiros pro alto.

Em um determinado momento, as pessoas saíram pelo bairro em busca de um suposto homem que teria sido identificado como sequestrador e que estaria pelas redondezas. Obviamente não tinha ninguém.

Ônibus foram depredados e pneus foram queimados no entorno da delegacia. O Choque foi chamado.

O rolo todo começou no meio da tarde e foi até alta noite, quando a delegada continuava a dar explicações. Por sorte, nenhuma pessoa foi confundida com o criminoso. Poderia ter sido morta pela população.

Esse é o poder de uma ferramenta da comunicação como o Whats alimentada por histeria e fake news. Quem espalha esse tipo de coisa tem responsabilidade. Isso é real e muito perigoso."
Postar um comentário