Filho de Alexandre Frota, Maya Frota, é bloqueado pelo pai nas redes sociais - Tube News

@otubenews

08 outubro 2018

Filho de Alexandre Frota, Maya Frota, é bloqueado pelo pai nas redes sociais

Alexandre Frota conseguiu mais de 150 mil votos e está na lista dos 20 Deputados mais bem votados de São Paulo.
Foto: reprodução/Twitter
Tube News, via TV O Foco e Jornal Extra
08/10/2018  12h17m - Atualizado em 09/10/2018 as 12h09m
Conhecido por suas inúmeras polêmicas, Alexandre Frota conseguiu se eleger como Deputado Federal em São Paulo. O ator nos últimos anos se destacou como ativista político da direita no Brasil e faz parte do mesmo partido que o presidenciável Jair Bolsonaro, o PSL.

Alexandre Frota conseguiu mais de 150 mil votos e está na lista dos 20 Deputados mais bem votados de São Paulo. Assim que ficou sabendo dos resultados das urnas, o filho do ator, Mayã Frota, fez questão de se pronunciar através de suas redes sociais e detonou o pai famoso.


“Eu sou filho de um ex-ator pornô, ex viciado em cocaína, que defende a família, mas queria me abortar. Como ele virou atual deputado federal de São Paulo, não sei”, escreveu o jovem. Além disso, Mayã Frota publicou um print onde mostra que foi bloqueado por Alexandre.


Alexandre Frota usou seu perfil no Facebook para responder as acusações de Mayã. “O Mayã resolveu me atacar com esse post, achando que vou ficar perturbado. Com 18 anos na cara prestes a fazer 19 faz parte dessa geração revoltadinha”, escreveu o agora político.
Mayã Frota e a mãe, a personal trainer, Samantha Gondim Foto: reprodução/instagram
“Não aceito. É fruto de uma transa”
Em entrevista à Revista Quem, há alguns anos, Alexandre Frota usou de toda a sua conhecida franqueza ao polemizar sobre o reconhecimento e convívio com Mayã.

“É um bloqueio muito simples o que eu tenho com o Mayã. Meus pais se separaram quando eu tinha 9 anos. Muito cedo eu estava sozinho na guerra. Outra coisa: eu não me preparei para ter esse filho. Ele não é fruto de um amor. É fruto de uma transa. A criança não tem culpa, é a frase chavão. Só que eu também não. Nasceu. Eu não fujo das minhas obrigações como pai. Dou dinheiro e faço tudo para estar junto nas datas, minha mãe e minha irmã são loucas por ele. Só que eu tenho que ser sincero. Eu não aceito. E não vou para psicólogo, para analista nenhum, não é a hora. Mais para frente, se eu quiser procurar ele e ele me aceitar está ótimo, se não quiser, está valendo. A vida é assim. Só que há poucos dias, eu comecei a conviver com o Enzo Gabriel, que tem 4 anos e é filho da minha namorada. Levo o Enzo para a escola, troco fralda, vou ao judô, ao cinema, ao teatro, brinco. Eu comecei a pensar, sabe... eu perdi um tempo com o meu filho. Uma criança de 4 anos está ensinando um homem de quase 50 anos a viver. Isso talvez um dia me aproxime do Mayã”.

Atacado nas redes por eleitores
Após o desabafo sobre o pai e a história de sua vida, Mayã foi duramente atacado por eleitores de Alexandre Frota. Hoje o garoto vive na Antuérpia, na Bélgica, com a mãe e a nova família.

Procurado pelo EXTRA, Mayã disse que só irá se pronunciar através de seus advogados no Brasil e que não dará entrevistas sobre o assunto. Alexandre Frota não respondeu à equipe.
POLÊMICA ENVOLVENDO ALEXANDRE FROTA
Uma ordem judicial orientou que o atual candidato à câmara federal, Alexandre Frota, retire um registro do perfil no Facebook. A publicação em questão contém fotos de uma estudante e foi considerada de natureza preconceituosa pelo juiz Elias Charbil Abdou Obeid, da 26ª vara Cível de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Elias ainda prevê na decisão multa de R$ 1.000 por dia em caso de desobediência. Frota publicou duas fotos da estudante com a legenda:

“Aí está antes da UNE depois da UNE, era assim entrou p Faculdade colou com a esquerda ficou assim olha que legal” (sic). Na primeira imagem, a menina está com 16 anos e os cabelos longos. Na segunda, aos 22 anos, ela aparece com os cabelos bem curtos e óculos de grau.

Segundo Elias Charbil, os dados são “notórios os prejuízos à imagem e à honra da autora, tendo em vista o cunho discriminatório da postagem”. O caso, entretanto, segue em segredo de justiça.
Postar um comentário