Crítica | Fear The Walking Dead 4ª temporada - Tube News

@otubenews

04 outubro 2018

Crítica | Fear The Walking Dead 4ª temporada

Foi, de fato, uma season finale diferente de tudo o que estamos acostumados. Será que a série principal vai segurar essa onda assim Rick Grimes pular do barco?

Tube News, via The Walking Dead Brasil
04/10/2018  08h55m
Chegamos ao fim dessa belíssima quarta temporada de FEAR The Walking Dead. Com a saída de uma veterana protagonista e a entrada de um novo, tivemos duas séries dentro de uma, cirurgicamente dividida em dois arcos a cada 8 episódios. A fórmula deu certo e conseguiram segurar esse encanto desde a première até a finale.

Como falado na análise do episódio anterior, o penúltimo nos jogou em um grande salto no escuro, uma vez que concluído todas as tramas em aberto, ainda tinha uma episódio inteiro a ser oferecido à audiência. E nesta última segunda jogamos um grande holofote nesse abismo escuro, e vimos que esse salto acabou sendo um grande acerto, contando com inovação, minimalismo e preparando o território para a próxima temporada.

Foi, de fato, uma season finale diferente de tudo o que estamos acostumados. Provavelmente uma grande parte da audiência não deve ter gostado. Por outro lado, aqueles que acompanham FEAR desde o começo devem ter se agradado, pois o pacote de mudanças com novos redirecionamento que foram incluídos nessa nova temporada foram muitos bem quistos, servindo como oxigenação para a série seguir em frente e quem sabe se manter mesmo depois da já confirma 5ª temporada (que inicia suas gravações agora em novembro na cidade de Austin, Texas).
Impossível não vermos essa última temporada como se fosse uma primeira, tamanhas suas novidades. Já vejo uma sexta temporada logo ali na frente, pois todo e quaisquer desgastes que a série carregava até a terceira temporada foi zerado.

Agora sem mais delongas vamos à análise. Uma Narrativa lenta, mas nem por isso desinteressante. A todo momento esse episódio serviu para apenas duas coisas: fazer com que finalmente o lado pistola de Morgan fosse exorcizado de si para sempre e uma constante preocupação em determinar quais caminhos seriam tomados na próxima temporada. Isso funciona bem, é respeitoso, inova ao concluir um arco antecipadamente e depois preparar o espectador com as inúmeras especulações que podem vir na próxima temporada.

Finalmente uma cena de verdade envolvendo John e June depois do implacável episódio Laura, o que serviu para acalentar o coração dos mais românticos. O velho grupo raiz, composto por Alicia, Strand e Luciana finalmente sentaram em uma mesa e decidiram que precisam sim achar novos propósitos e fazer com que o legado de Madison seja propagado. Althea mostrou-se cada vez mais com um bom coração, enquanto Sarah e Wendell definitivamente se enturmaram com o grupo e já fazem parte dessa unidade. Charlie parece ter sido adotada por Dorie e June enquanto Morgan agora mais do que nunca assume para si a liderança do grupo de forma explícita.
Vale ressaltar a estupenda interpretação de Tonya Pinkins, a atriz que interpretou brevemente a vilã Martha, se entregou de corpo e alma e fez uma dobradinha com Lennie James (Morgan) que se tornará memorável.

O ponto negativo que posso levantar é a escalada de momentos apelativos e forçados do roteiro, que tomaram uma frequência nos últimos episódios que destoa da qualidade que esse mesmo roteiro nos proporciona. Essa falha fica por conta do envenenamento do grupo que foi resolvido no mesmo dia enquanto o tanque de etanol que vazava na frente de todos poderia ter sido ingerido sem problema algum, bastava colocar um balde em qualquer um dos vazamentos, ou em último caso tomar do próprio chão. Mas não vou adentrar mais nesse que considero o único erro do episódio, pois por incrível que pareça, foi o ponto menos relevante da trama abordada nessa grande final. O saldo total da série é tão positivo que não abala o episódio.
No fim, Morgan desistiu da peregrinação rumo à longínqua Alexandria, decidindo retomar os planos do falecido Urso Polar de criar uma rede de ajuda nas estradas e colonizando uma fábrica abandonada de Jeans, onde provavelmente será o epicentro da próxima temporada junto das estradas. O enredo já está posto na mesa e de fato empolga.

Essa maravilhosa temporada chegou no seu ponto final. Inúmeros acertos, grandes personagens, muitas despedidas e boas histórias. Fear fez o que a série-mãe há muito não nos proporciona: Surpreendeu e com muita qualidade. Aqui a série se manteve firme e até melhor dando adeus a sua protagonista.

Tube News, via The Walking Dead Brasil
Postar um comentário