Com 10 anos, Clark Kent bate recorde de Michael Phelps - Tube News

@otubenews

19 agosto 2018

Com 10 anos, Clark Kent bate recorde de Michael Phelps

Clark Kent Apuada quebrou marca do maior campeão olímpico que durava 23 anos, mas vai ficar sem ter onde praticar a partir de setembro. Clube que frequentava vai fechar por falta de segurança.
Clark Kent Apuada. (Foto: reprodução)
Tube News, via Joanna de Assis, Esporte Espetacular
Tem coisas que nem mesmo um super-homem consegue evitar. No caso do pequeno Clark Kent, de Salinas, cidade de 150 mil habitantes ao sul da Califórnia, a violência urbana levou a diretora e técnica de seu clube aquático a tomar uma decisão difícil - encerrar os trabalhos mesmo depois de conseguir o que pensava ser impossível - formar um campeão.

A intenção da professora Dia Rianda nunca foi treinar alguém ali, naquela piscina de fundo infinito, para ser recordista ou um futuro atleta olímpico. O objetivo era evitar o afogamento de crianças de famílias humildes da comunidade, em sua maior parte filhos de imigrantes mexicanos e filipinos. Entres 200 atletas mirins que treinam todos os dias, está Clark Kent Apuada, de 10 anos, que há duas semanas ficou famoso no mundo inteiro ao bater um recorde da infância do "superman" das piscinas, Michael Phelps, em uma competição regional das mais importantes para crianças.

Clark Kent planejou o momento desde os sete anos de idade. Memorizou todos os recordes da competição e quando se deu conta de que o mais antigo era de Phelps, traçou como meta superá-lo.

- Quando eu comecei a nadar, descobri o Pacific Swimming, que é uma competição da qual o meu clube participa, e aí no site mostrava os tempos, e aí tinha os recordes. Quando eu cliquei, mostrou que o recorde mais longo era de MIchael Phelps. Ele era de Baltimore, é longe daqui, e ele nadou nessa mesma competição, e tinha o único recorde que não havia sido quebrado ainda. Um recorde de 23 anos. Pensei logo, quero bater - contou o nadador mirim.
O garoto de 10 anos nada uma hora e meia por dia, apenas quatro dias por semana (Foto: Reprodução)

Clark nadou sete provas e venceu todas elas. A mais especial foi a última, os 100m estilo borboleta, que lhe garantiu além do ouro, o recorde, com o tempo de 1min09a38, superando em mais de um segundo a antiga marca do ídolo e multicampeão Michael Phelps, de 1min10s48.

Com a repercussão do feito, Phelps até mandou um recado ao pequeno Clark, via twitter: “Um grande parabéns a Clark Kent por bater o recorde da competição! Continue firme, parceiro!”

Para ser um campeão da categoria, Clark nem precisou treinar tanto assim dentro da água. Ele nada uma hora e meia por dia, quatro dias por semana somente. O restante de sua preparação fica por conta da prática das artes marciais. Ele sonha um dia ser faixa-preta de jiu-jítsu.

Desde os sete anos, Clark figura entre os melhores nadadores de sua divisão. O recorde que ele bateu do Phelps pode ser o mais famoso, mas é só mais um entre vários que ele tem quebrado nos quatro estilos - tanto em piscinas de 25 quanto de 50 metros, ele detém as melhores marcas de sua faixa etária.

- Ele ganhou três provas em vinte minutos e ainda bateu suas marcas pessoais. Primeiro tirou cinco segundos dos 200m medley. Quatro minutos depois venceu os 50m borboleta, aí saiu da piscina, voltou em 10 minutos e venceu os 100m peito - contou a professora.

Em 25 anos de carreira, Dia Rianda jamais havia visto nada parecido.

- Clark é um milagre. Nós só queríamos que as crianças não se afogassem, porque a estatística mostra que a causa da morte número dois das crianças da comunidade é o afogamento. Estamos perto do oceano, era importante ensinar nossos meninos e meninas a como sobreviver em uma emergência na água. O que fazemos aqui é um grande trabalho social.

Salinas, a capital nacional dos crimes violentos contra jovens

Antes de Clark disputar sua última prova no regional, justamente os 100m borboleta do recorde de Phelps, Dia baixou sua cabeça e rezou, coisa que nunca faz apesar de ser católica.

- Eu rezei pelo Clark e pela outras crianças do clube porque eu sabia que provavelmente seria a última prova que eu seria técnica deles. E eu rezei. E pedi para que fosse uma competição divertida, e que fosse a melhor que ele tivesse, e aí olhei para o bloco, e o Clark saiu para nadar. E quebrou o recorde do Phelps, e foi provavelmente um dos melhores momentos que vivi como técnica. Pensei, bem. Se é dessa forma que vai acabar a história, é a melhor forma.

Salinas é conhecida no mapa do Estados Unidos como uma das cidades mais perigosas de todo o país, em termos comparativos, pior que Chicago e Los Angeles. O centro de monitoramento de violência ranqueou o condado de Monterey, onde fica Salinas, como a capital do homicídio de jovens do Estado da Califórnia nos últimos cinco anos. O departamento define como jovens qualquer um entre 10 e 24 anos de idade. A cidade também figura como a maior quando o assunto é crimes de gangues de rua, que geralmente terminam em atos violentos contra jovens.

A piscina do MCTA, o centro aquático onde Dia Rianda é técnica e coordenadora desde 2009, fica em uma região de terror, dominada por gangues e viciados em drogas.

- Chegar e sair do trabalho é um desafio para nós todos os dias. Semana passada um de nossos funcionários foi esfaqueado no estacionamento em plena luz do dia. Nao tem como continuarmos aqui, e quem assumir a piscina tem que saber do perigo que existe.
Com apenas 10 anos e nome de herói, Clark Kent bate recorde antigo de Michael Phelps. (Foto: reprodução)

Durante nossa visita, Dia fez questão de mostrar a pilha de cartas amontoadas no escritório, com centenas de pedidos de socorro ao prefeito de Salinas à polícia local, e ao departamento de segurança. Nenhuma resposta em três anos.

- A gente se tranca pelo menos uma vez por semana aqui dentro, com medo da violência. Estamos na linha de fogo das gangues. Mas eu tenho fé que alguma outra piscina da cidade irá nos acolher, em outra comunidade que mantenha as crianças seguras, não temos que ficar no meio disso. Estou pensando positivo. E eu acho que aconteceu algo divino na minha reza durante a competição do Clark. Acho que foi uma forma de Deus dizer que está nos ajudando. Foi um milagre Clark quebrar aquele recorde por mais de um segundo, foi incrível.


Com a coragem dos inocentes, Clark diz que não pensa na violência quando vai para a piscina treinar.

- Eu na verdade não presto muito atenção nas coisas negativas que acontecem aqui, como os assassinatos e os crimes, eu penso mais nas coisas positivas que acontecem. Outro dia teve rodeio, mas eu não fui, mas se eu tivesse ido teria sido legal - conta, sorrindo.

Clark inclusive acredita que seu recorde pode motivar muitos jovens que no momento não estão perseguindo seus objetivos.

- Eu acho que já que eu motivei muitas pessoas, eu acho que se eles começarem a nadar, isso se tornará algo positivo e as coisas negativas vão aparecer menos, então eu acho que se eles puderem ter sonhos, e quiserem realizar como eu acabei de fazer, eu acho que as outras pessoas podem se motivar também a fazer coisas positivas.

No dia 1 de setembro, a piscina de Salinas vai fechar suas portas.

- Hoje, Clark Kent é um sem-teto. Não sabemos o que vamos fazer - diz Dia.

Já o super-homem não se preocupa muito com o futuro. Para ele, o mais importante agora é estudar para ser um cientista quando crescer. Quem sabe trabalhar na Nasa um dia. Se der para disputar uma Olimpíada entre um sonho e outro, melhor ainda.

- Acho que minha melhor chance é em Paris em 2024, vou ter 16 anos, Mas, se não der, tem 2028 em Los Angeles. E eu sei que vamos encontrar uma nova piscina. E eu vou continuar treinando. Se existir outro recorde do Phelps da juventude, eu quero bater.

Por Joanna de Assis, Salinas, EUA (Esporte Espetacular)
Postar um comentário