Igreja Mórmon se pronuncia sobre separação forçada de famílias na fronteira entre o México e EUA - Tube News

@otubenews

19 junho 2018

Igreja Mórmon se pronuncia sobre separação forçada de famílias na fronteira entre o México e EUA

O pronunciamento declara que esta política prejudica as famílias e pede para uma solução mais racional e compassiva. Confira:
Templo de Salt Lake City, Utah, de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias
Tube News
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias publicou em sua página oficial MormonNewsroom.org um pronunciamento sobre a separação forçada de pais e filhos na fronteiro do México e EUA. O pronunciamento declara que esta política prejudica as famílias e pede para uma solução mais racional e compassiva. Confira:

A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias há muito tempo tem expressado sua posição de que a reforma de imigração deve fortalecer as famílias e mantê-las juntas. A separação forçada de filhos e pais que acontece agora na borda entre os EUA e México é prejudicial às famílias, principalmente as crianças. Estamos profundamente comovidos pelo tratamento agressivo e insensível oferecido a estas famílias. Embora reconheçamos o direito de todas as nações de impor suas leis e proteger suas fronteiras, encorajamos nossos líderes nacionais a agir prontamente para corrigir essa situação e buscar soluções mais racionais e compassivas.
Foto de junho mostra abrigo de menores de idade que foram separados de familiares na fronteira com o México (Foto: Handout/ U.S. Customs and Border Protection/ AFP)

Crise Mundial de Imigrantes
O presidente americano Donald Trump afirmou nesta terça-feira (19) que quer dar aos agentes autoridade para "prender e remover" as famílias de imigrantes que chegam ilegalmente nos Estados Unidos.

Trump disse que não quer que crianças sejam separadas de seus pais, como vem acontecendo, mas que essa medida é necessária em caso de imigrantes ilegais que entram no país e são processados.

"Queremos resolver o problema da separação familiar, e não quero que crianças sejam levadas de seus pais. E quando você processa os pais por entrar ilegalmente, o que deve acontecer, você tem que separar as crianças", disse Trump.

"Temos que devolvê-las [as famílias] aos seus países", disse.

A expressão "prender e remover" usada por Trump faz referência à política do "prender e soltar", que foi encerrada em seu governo e sob a qual os imigrantes ilegais detidos podiam aguardar uma audiência sobre sua situação em liberdade em vez de presos.

Uma recente determinação de “tolerância zero” aos imigrantes ilegais na fronteira com o México causa polêmica nos EUA.

A nova política da administração Trump estabelece que todo adulto que for pego atravessando a fronteira ilegalmente deve ser criminalmente processado. Ao ser pego, o indivíduo é levado a um centro federal de detenção de imigrantes até que se apresente a uma juiz de imigração.

Antes, as famílias que chegavam na fronteira sem autorização e que alegavam medo de voltar para a casa eram autorizados a entrar em território americano e pedir refúgio. Durante o processo de solicitação de refúgio o imigrante podia ou não ser detido.

A nova política não fala em “separação”, porém isso acaba sendo inevitável na prática, já que os menores de idade não podem ser mantidos nesses centros. Eles são levados para abrigos sob custódia do governo.

Democratas e republicanos criticam o presidente e pedem o fim da prática.

Reforma imigratória
A votação de dois projetos de reforma migratória está marcada para a próxima quinta-feira no Congresso americano. Trump disse que quer fazer mudanças nos projetos, que foram elaborados por republicanos, sem especificar quais seriam essas mudanças.

"Temos uma Câmara que está se preparando para finalizar um pacote de imigração sobre o qual vão me informar hoje, e vou fazer mudanças nele", disse.

Corte na ajuda externa
Trump afirmou ainda que em breve dará autorização para que a ajuda externa dada aos países de onde saem os imigrantes ilegais seja cortada.

"Quando os países abusam ao enviar as pessoas - não as suas melhores - não vamos dar mais ajuda a esses países", afirmou. "Por que deveríamos?"

De acordo com a rede CNN, Trump já ameaçou fazer cortes em ajuda externa em ocasiões anteriores. Em abril, o presidente afirmou que a ajuda americana a Honduras estava em jogo por causa de uma caravana de imigrantes que se deslocava pelo México e pretendia pedir refúgio ao chegar nos EUA.

Em maio, anunciou que sua administração estava elaborando um plano para reter os fundos de ajuda externa aos países de origem dos imigrantes ilegais que entravam nos EUA.

Por G1 e MormonNewsroom
Tube News
Postar um comentário