MILHARES PROTESTAM NA RÚSSIA APÓS INCÊNDIO QUE MATOU 64 PESSOAS, SENDO 41 CRIANÇAS - Tube News

@otubenews

27 março 2018

MILHARES PROTESTAM NA RÚSSIA APÓS INCÊNDIO QUE MATOU 64 PESSOAS, SENDO 41 CRIANÇAS

Protesto pedia a demissão de Aman Tuleyev, governador da região onde ocorreu o incêndio em shopping.
Milhares protestam em Moscou pedindo mais medidas de segurança depois de incêndio em shopping na Sibéria. (Foto: Sergei Karpukhin/Reuters)


Tube News
Manifestantes acusam autoridades de negligência e de esconder real dimensão do desastre, ocorrido em shopping na Sibéria. Investigações apontam que alarme estava desativado, e saídas de emergência, bloqueadas.Em meio a rumores de que autoridades teriam ocultado o número real de vítimas fatais do incêndio um um shopping na cidade de Kemerovo, na Sibéria, o luto da população se mistura a protestos contra os responsáveis pelo centro comercial, o governo e os políticos.

Milhares de russos protestaram nesta terça-feira (27) na praça central de Kemerovo, culpando as autoridades pela morte de ao menos 64 pessoas no incêndio, entre elas 41 crianças, segundo informou a agência russa Interfax.

O incêndio, ocorrido no último domingo, destruiu o shopping Zimnyaya Vishnia (cereja de inverno). O lugar era um destino popular para famílias e estava cheio no momento em que foi atingido pelas chamas, no primeiro dia das férias escolares.

A lista de acusações populares inclui negligência aos padrões de segurança, bloqueio das saídas de emergência e sobrecarga das equipes de resgate, falhas que teriam transformado o shopping em chamas numa armadilha, especialmente para as crianças que estavam num parquinho interno e no cinema no último andar do edifício.

O presidente russo, Vladimir Putin, visitou Kemerovo, 3 mil quilômetros a leste de Moscou, e afirmou que as mortes foram causadas por "negligência criminosa e desleixo". Ele não compareceu à manifestação, que durou pelo menos seis horas. Outras cidades do país também foram palco de homenagens às vítimas do incêndio.

Centenas de vítimas?
O shopping tinha uma ampla área de entretenimento, incluindo, além de cinema, um zoo com animais de estimação e boliche. Muitas das crianças que estavam no local ainda não foram encontradas. Em meio a especulações nas redes sociais, usuários chegaram a dizer que o real número de mortos seria de 250 a 300 pessoas.

Um manifestante, Igor Vostrikov, disse ao governo local que as famílias das vítimas acham que o número de mortes é maior do que o informado, porque o cinema inteiro pegou fogo.

"Não estamos pedindo sangue. Precisamos de justiça", disse Vostrikov, que perdeu a esposa, a irmã e três filhas, de dois, cinco e sete anos de idade, no incêndio.

"Elas morreram porque estavam trancadas no cinema", disse Vostrikov ao canal de televisão Dozhd. "Elas estavam gritando lá: ‘Estamos presas, estamos sufocando'. Ninguém ajudou porque, quando o incêndio começou, todo mundo saiu correndo", contou.

População denuncia resposta defasada
A agência russa Interfax informou que os manifestantes se reuniram durante várias horas no centro de Kemerovo para exigir a demissão de Aman Tuleyev, governador da região de mesmo nome.

No cargo há mais de 20 anos, o governador não apareceu no protesto, que teve forte presença de policiais e integrantes da Guarda Nacional. Tuleyev também ainda não visitou o local da tragédia, nem encontrou os familiares das vítimas, de acordo com a agência AP.

Porém, após encontro com Putin, Tuleyev acusou "a oposição" e "interferências locais" de fomentar o protesto, dizendo que os familiares das vítimas não estavam na manifestação.

Putin também foi criticado por não se pronunciar imediatamente à nação ou logo declarar um período de luto. Aparentemente cedendo à pressão popular, ele assinou um decreto declarando luto nacional para esta quarta-feira.

Por Deutsche Welle
Postar um comentário