LUISA MELL RESGATA MAIS DE 100 ANIMAIS EM CONDIÇÕES PRECÁRIAS

Ativista disse que nunca viu um lugar tão sujo e em condições tão ruins. Além de cães, também foram encontrados animais silvestres.
Luisa Mell com um dos cachorros resgatados em canil de Osasco, em 2017. (Foto: Instagram/@Luisamell)

Tube News
A ativista Luisa Mell foi chamada pela Polícia Militar na tarde desta quarta-feira (28) para resgatar mais de 100 cães em um canil clandestino na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo.

Além de cachorros das raças yorkshire, bulldog e maltês, foram encontrados animais silvestres como araras e papagaios, todos em situação precária.


Luisa Mell. (Foto: reprodução/Instagram)

Luisa contou que os cães estão sem pelo e sangrando.

— As cenas são muito fortes, até eu que estou acostumada com todo tipo de resgate, estou chocada com o que vi aqui. Tem muita sujeira e principalmente fezes espalhadas por toda a casa.

Luisa Mell. (Foto: reprodução/Instagram)


Os animais silvestres estavam sem penas e, segundo Luisa Mell, os cães foram encontrados confinados em gavetas, armários, aquários e caixas de plástico embaixo da cama.

Bastante emocionada, Luisa mostrou nas redes sociais a situação da casa que é mantida por duas pessoas.

— Ainda não sei quantos animais têm aqui, mas pelo menos 100. Qualquer cantinho que a gente abre, sai algum animal. Tem filhote até dentro de gavetas. É muita sujeira e muito barulho, curioso nenhum vizinho saber o que acontecia.

Todos serão levados para o Instituto Luisa Mell para receberem cuidados médicos.


Mutilação no Vietnã
Luisa Mell está envolvida em outro caso de resgate, mas desta vez, no Vietnã.

— Recebi na manhã de hoje um vídeo de uma mulher decepando a pata de um cachorro. Depois fui descobrir que era no Vietnã. Estamos atrás disso, mas por causa da distância e falta de informações está complicado.

Luisa apurou até agora que o cachorro pertence a uma mulher que recebeu várias reclamações de vizinhos. O cão estaria atacando outros animas e como “punição” a dona decepou a pata do cachorro com uma espécie de facão.

— Não tem leis contra maus tratos no Vietnã, estou em contato com algumas ONGs, mas é difícil encontrar por lá alguém que fale inglês e por aqui está difícil achar alguém que fale vietnamita. A ativista disse que pretende trazer o cachorro para o Brasil.


Com informações do R7
Tube News
Postar um comentário
Tecnologia do Blogger.