SP: FRENTISTA ATIRA EM FOLIÕES EM POSTO APÓS BLOCO DE CARNAVAL - Tube News

@otubenews

05 fevereiro 2018

SP: FRENTISTA ATIRA EM FOLIÕES EM POSTO APÓS BLOCO DE CARNAVAL

Homem é agredido e atira em seguida. Dois morreram e um ficou ferido.
Funcionário de posto atira em foliões durante briga em SP

Tube News
Um vídeo obtido com exclusividade pela TV Globo mostra a confusão que terminou com dois mortos em um posto de combustíveis na Avenida Rebouças, na Zona Oeste de São Paulo, na noite de sábado (3). As imagens, feitas por câmeras de segurança, mostram uma confusão envolvendo diversas pessoas e o momento em que um frentista atira.

Foram mortos o professor de educação física Bruno Gomes de Souza, de 31 anos, e o metalúrgico João Batista Moura da Silva, de 30 anos. O sobrevivente é o empresário Rodrigo Beralde da Silva, de 35.


Segundo amigos das vítimas, o motivo da confusão foi o fato de parte do grupo ter urinado em sacos de lixo após ter sido proibido por funcionários de usar o banheiro do local, que estava interditado.

O vídeo começa segundos antes dos disparos. Um grupo aparece discutindo com um homem de mochila nas costas. O atirador aparece caminhando, com um colete vermelho. Outro rapaz, de boné, surge apressado e empurra o homem com mochila. O frentista parte para cima e leva uma voadora. Ele cai e é agredido por outros rapazes. O frentista se levanta e atira.

A Polícia Civil confirmou que o atirador trabalha no posto. O nome dele, porém, não foi divulgado. O delegado Roberto Krasovic, responsável pelo caso, disse que entrou com o pedido de prisão temporária.


Até o final da tarde esta segunda-feira (5), a Polícia Civil tinha ouvido o depoimento de mais de dez testemunhas, incluindo funcionários do posto e amigos dos baleados. A investigação aguarda o laudo de um projétil retirado do corpo de uma das vítimas.

Amigos lamentam
"Tudo começou por causa de um banheiro. Foi uma brutalidade", disse a amiga e testemunha Talita Juliana Moreira Avelino. Segundo ela, parte dos funcionários do posto as autorizou a usar o local do depósito de lixo, mas, quando Bruno foi usar o espaço, foi proibido pelos frentistas. Ao voltarem para a frente do posto, começou uma briga e um homem chegou com uma arma.

Talita e o marido são amigos das vítimas e estavam com elas quando ocorreu o crime. O casal foi prestar depoimento na delegacia que investiga o caso. “Isso indigna, morrer por causa de banheiro”, lamentou Talita aos jornalistas que estavam nesta manhã no 14º Distrito Policial (DP), em Pinheiros.

“Vi os três no chão”, recorda-se Fernando Avelino, que estava com uma atadura no braço, segundo ele, resultado da agressão que sofreu no dia. “Fui agredido com uma barra de ferro por alguém no posto.”

O dono do posto Shell na Avenida Rebouças, Carlos Duque, negou que o local tenha segurança particular. Segundo o proprietário, os frentistas não contaram a ele quem sacou uma arma e atirou no grupo de amigos que urinou em local proibido. O dono do posto afirmou que está colaborando com as investigações para encontrar o assassino.


Por Robinson Cerântula, TV Globo
Tube News