HOSPITAL ONDE MÃE DE CRIVELLA FOI OPERADA ÁS PRESSAS, PACIENTES SOFREM COM DEMORA - Tube News

@otubenews

23 fevereiro 2018

HOSPITAL ONDE MÃE DE CRIVELLA FOI OPERADA ÁS PRESSAS, PACIENTES SOFREM COM DEMORA

Mulher esperou dois dias por cirurgia de trombose, mas não resistiu e morreu no Hospital Salgado Filho. Paciente precisa realizar cirurgia ortopédica e aguarda há 35 dias.

Tube News
Os pacientes do Hospital Salgado Filho sofrem com o atraso em cirurgias causado pela falta de material cirúrgico. Alguns pacientes internados aguardam por cirurgia há mais de um mês. Como a emergência está superlotada, tem pacientes que aguardam atendimento nos corredores. Alguns deles precisam ser submetidos a cirurgia ortopédica, assim como a mãe do prefeito Marcelo Crivella, que fez uma cirurgia de emergência há uma semana.

Eris Crivella recebeu o primeiro atendimento na sexta-feira (16) e foi operada na manhã de sábado (17) pelo cirurgião ortopedista Renato Alves, médico da unidade. A mãe do prefeito quebrou o punho e foi operada de emergência. Os pacientes dizem que, além da rapidez no atendimento, uma faxina aconteceu para que ela fosse recebida no local.

Por outro lado, uma mulher que está com o ombro fraturado contou que aguarda há 35 dias por uma operação. “Eu não aguento mais. É arriscado pegar uma infecção”, explicou a paciente que foi vítima de um atropelamento.

O marido de Cleonice quebrou o pulso e o fêmur em um acidente de trabalho. Ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e desde segunda-feira (19) está internado. Quando ele chegou não tinha leito. Ele ficou no corredor, na maca da ambulância. Só foi para o quarto na quarta-feira (21).

Os médicos dizem que a cirurgia é de emergência, mas ainda não tem previsão. “Eu estou aguardando esperando o que vai acontecer. Ele está sentindo muita dor”, explicou Cleonice.

A direção do Hospital Municipal Salgado Filho disse que o marido de Cleonice vai fazer as duas cirurgias juntas e que a cirurgia de fêmur é complexa e precisa de um estoque maior de sangue. Ele passa por exames e, de acordo com a unidade, será operado em breve.

Paciente morreu aguardando cirurgia
Aos prantos, o pedreiro José Antônio chora a morte da esposa, após esperar por dias por uma cirurgia de trombose. Ela morreu na noite desta quinta-feira (22).

“É muito triste. Ia operar hoje, mas não opera. Ia operar amanhã, mas não opera. E fica nessa situação. Ela não resistiu. Veio à óbito. O que aconteceu com ela pode acontecer com os outros que estão aí também”, destacou José Antônio.


Nos leitos próximos, outros pacientes também sofrem com a demora. “Dói muito. Minha perna está doendo muito”, explicou outra mulher.

As cirurgias demoram e os leitos nas enfermarias ficam ocupados por semanas. A emergência também fica superlotada. As macas são colocadas lado a lado. Os corredores também ficam cheios de pacientes aguardando atendimento.

A mãe da pedagoga Mônica da Silva Lima chegou à emergência na terça (20) e não tinha maca para deitar. “Ela ficou em uma cadeira de meia-noite à 13h porque não tinha maca. O corredor está lotado de macas e não tem enfermeiros. Simplesmente eles falam que só tem 3, 4 enfermeiros para 76 pacientes internados”, explicou Mônica.

O orçamento da saúde no Município do Rio perdeu R$ 367 milhões este ano.

Sobre a emergência lotada, a direção do Salgado Filho afirmou que não pode recusar pacientes e que a prioridade nas cirurgias é de acordo com a gravidade de cada caso.

MP investiga se mãe de Crivella teve privilégios

Na quinta-feira (22), o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) abriu uma investigação para apurar se a mãe do prefeito Marcelo Crivella teve privilégios quando foi internada no Hospital Salgado Filho.

Eris Bezerra Crivella quebrou o punho e foi operada de emergência. Os pacientes dizem que, além da rapidez no atendimento, uma faxina aconteceu para que ela fosse recebida no local.

Segundo a direção do Hospital Municipal Salgado Filho, o tipo de fratura sofrida por Eris Crivella demandava uma cirurgia de urgência e não houve favorecimento. No sábado (17), a secretaria de Saúde informou que havia apenas dois pacientes do hospital com demanda de cirurgia ortopédica de urgência ou emergência e ambos foram operados, entre eles a mãe do prefeito.

Ainda segundo a SMS, no mesmo dia não havia nenhum outro paciente na emergência da unidade com demanda de cirurgia ortopédica.


Com informações do G1, RJTV.
Tube News
Postar um comentário