MÓRMONS EMPRESTAM CAPELA PARA CONGREGAÇÃO JUDAICA POR UM ANO - Tube News

@otubenews

26 outubro 2017

MÓRMONS EMPRESTAM CAPELA PARA CONGREGAÇÃO JUDAICA POR UM ANO

“Nosso propósito ao fazer isso foi fortalecer nossa relação entre nossa fé”, disse líder local da Igreja Mórmon.


Tube News
Comunidade Judaica

Depois de se reunir por um ano em uma capela SUD, a congregação judaica de Shir-Ha-Ma’alot ouviu um sermão de Shabat(ou Sabá em Português) pelo rabino Richard Steinberg intitulado “O que aprendemos com nossos amigos”.

O serviço de 13 de outubro foi a última vez que o grupo judeu se reuniu na sede da Estaca Irvine Califórnia. Os membros da estaca foram convidados pelo rabino a participar das reuniões do Shabat. Mais de 200 judeus e mórmons se reuniram. Os presentes se receberam com expressões de gratidão, apertos de mão e cumprimentos de Shabat.
Solidariedade

Um ano antes, os líderes da sinagoga procuravam um lugar para adorar enquanto seus edifícios estavam sendo renovados. O Presidente Tait Eyre da Estaca de Irvine ouviu que a congregação judaica estava em necessidade e ofereceu a capela como uma opção.

“Nosso propósito ao fazer isso foi fortalecer nossa relação entre nossa fé”, disse o Presidente Eyre. Quando o rabino Steinberg veio visitar o prédio, ele ficou um pouco surpreso com a oportunidade. O Presidente Eyre disse ao rabino que é “nosso dever religioso compartilhar nosso espaço” quando possível.


A congregação judaica usou o prédio nas noites de sexta-feira e sábados de manhã – quando as pessoas da estaca normalmente não precisavam das instalações. Os portadores do sacerdócio estavam lá para sediar a congregação judaica cada vez que se encontravam no prédio. Os padrões da Igreja de não fumar, não tomar café e não tomar bebidas alcoólicas na capela também foram aplicados para os serviços judaicos.

Em seu sermão de Shabat, o rabino Steinberg disse à congregação: “Muitos de vocês têm visto missionários Mórmons batendo à sua porta”. Ele apontou os missionários presentes que ajudaram com os Dias Sagrados da congregação.

“Imagine”, disse ele, “como é quando um rabino está batendo na porta da Igreja Mórmon pedindo para usar sua casa por um ano inteiro”. Ele disse que “abriram a porta com amor e bondade”. Os membros acolheram, ajudaram a limpar, preparar salas de aula e até se juntaram aos serviços religiosos. Era como se “o chamado do dever não conhecesse limites”, disse o rabino Steinberg.

Respeito e Liberdade Religiosa

O rabino expressou apreço pelo compromisso dos membros da Igreja de deixarem de lado seu princípio básico para compartilhar o evangelho enquanto sua congregação estava no prédio. “Nem uma pessoa quis nos converter”, disse ele. Ao longo do ano, ele ganhou uma maior compreensão do porque os mórmons querem compartilhar as verdades que eles acreditam. No entanto, ele viu como eles se abstiveram de proselitismo “para alcançar um maior valor religioso”.

Como expressão de gratidão, o rabino Steinberg queria dar três coisas aos membros da Igreja. Todos os Mórmons foram convidados a subir ao púlpito onde o rabino pronunciou uma bênção sobre eles. Ele então apresentou um certificado ao Presidente Eyre, indicando que a SHM dedicaria um espaço em sua nova sinagoga em homenagem à Igreja, como um lembrete de que a “graça, hospitalidade e bondade da Igreja são um modelo para todas as religiões”. Todos os Mórmons foram convidados a participar da grande inauguração da nova sinagoga. O rabino expressou a esperança de que “o mundo todo vesse a amizade entre essas duas comunidades como um modelo”.

O Presidente Eyre disse:

“Esperamos que essas raízes sejam raízes profundas. No futuro, estaremos aqui um para o outro”.

Ele expressou seu amor pelo rabino Steinberg e pela congregação judaica. Você são “vizinhos maravilhosos, queríamos conhecê-los. Nós temos muito em comum”.
Proximidade

Marty Hart da SHM que assistiu aos serviços de Shabat e ao estudo da Torá em uma reunião regular disse: “Foi um sentimento notável de proximidade que nunca desapareceu durante todo o ano”.

Para Kenny Giuliani, um Mórmon que teve oportunidades de servir de anfitrião, foi a primeira experiência em um serviço judaico: “Eu gostei sempre do que eu assistia”, disse Giuliani. “Mesmo que a maneira como adoramos seja um pouco diferente, uma coisa que definitivamente nos une é amor e respeito pelas opiniões e crenças religiosas dos outros”.

Larry Gassin, um Mórmon que se converteu do judaísmo e coordenou o compartilhamento do prédio durante o ano, disse:

“Ambos os grupos tiveram oportunidades e a bênção de testemunhar e experimentar a bondade e a sinceridade um do outro. Os olhos foram abertos, os corações foram suavizados e mudados e relacionamentos de amizade e respeito foram acendidos e nutridos. Todos nós tivemos a oportunidade de aprender, com apreço e gratidão, que temos muito mais em comum do que muitos podem ter suspeitado e há mais em torno do qual podemos nos unir”.

Amizades entre os membros da SHM e mórmons foram feitas e reforçadas nos locais de trabalho, bairros e comunidade, disse o Presidente Eyre.

Traduzido do site Deseret News
Tube News