PAIS SÃO CONDENADOS POR CASAR FILHA DE 13 ANOS COM LÍDER DE SEITA MÓRMON - Tube News

@otubenews

12 agosto 2017

PAIS SÃO CONDENADOS POR CASAR FILHA DE 13 ANOS COM LÍDER DE SEITA MÓRMON

Pai foi condenado a um ano de prisão e mãe ficará sete meses presa; líder já tinha mais de 80 mulheres e filmou relação sexual. Tio da menina tem 25 esposas e foi recentemente condenado por poligamia.

Warren Jeffs

Tube News
Os pais de uma menina de 13 anos foram condenados a prisão nesta sexta-feira (11) no Canadá por terem participado do casamento forçado da filha com o líder de uma seita fundamentalista cristã que pratica a poligamia.

Brandon Blackmore, de 71 anos, pai de menina, foi condenado a um ano de prisão pelo tráfico de crianças para propósitos sexuais. Gail Blackmore, de 60 anos, mãe da jovem, ficará sete meses presa.

Os dois são membros de uma comunidade fundamentalista mórmon no oeste do Canadá e participaram do casamento da filha com o profeta da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Warren Jeffs.

Em fevereiro de 2004, o casal enviou a filha para os Estados Unidos para que ela se casasse com o líder religioso, que na época tinha 49 anos e mais de 80 esposas. Pouco depois da consumação, Jeffs gravou uma relação sexual com a menina em vídeo.

Posteriormente, Jeffs foi condenado a prisão pérpetua nos EUA por outro crime: o estupro de uma menina de 12 anos.

A comunidade de Bountiful, na província de Columbia Britância, é há décadas o expoente da poligamia no Canadá. Seu líder, Winston Blackmore, irmão mais novo de Brandon, se autodenomina bispo da igreja e é pai de 132 crianças.

Winston foi investigado várias vezes pela polícia canadense durante os últimos 30 anos pela poligamia da comunidade e recentemente condenado por poligamia.


Lembrando que esta seita não tem relação com a Igreja Mórmon ( A Igreja de Jesus Cristo dos Santos Dos Últimos Dias), que possui milhares de membros no Brasil, 5 templos em funcionamento e dezenas de capelas, onde visitantes são bem vindos. A seita não faz parte desta religião.


Templos de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias no Brasil, que não tem relação alguma com a seita mórmon. (Foto: Reprodução/Google)


Sobre Warren Jeffs e a Seita Mórmon
Warren Jeffs nasceu em 1955, cerca de dois anos depois da famigerada operação policial contra os mórmons fundamentalistas da comunidade de Short Creek, na fronteira entre Utah e Arizona. Considerada o maior encarceramento em massa na história americana, a operação foi um desastre de relações públicas. Aplaudida pelo Deseret News, a operação foi execrada pela maior parte da mídia norte-americana, que a percebia uma afronta aos direitos civis dos poligamistas e uma degradação de suas relações familiares.

Os fundamentalistas de Short Creek (posteriormente, renomeada Colorado) acreditavam na revelação recebida por John Taylor em 1886, a qual afirmava que a lei do casamento plural nunca seria revogada por Deus. Também acreditavam possuir a autoridade necessária para realizar selamentos. Não buscavam, no entanto, substituir A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ou sequer organizar-se como uma igreja. Aquele agrupamento inicial de fundamentalistas deu origem a grande parte dos grupos fundamentalistas modernos, incluindo a igreja presidida por Jeffs.

A Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias só surgiria no final da década de 1980, sob a liderança de Rulon Jeffs. Chamado carinhosamente pelos seus associados de Tio Rulon, ele substituiu a liderança coletiva do chamado “Conselho do Sacerdócio” fundamentalista e foi o primeiro, desde os seus antecessores em Short Creek, a considerar-se um profeta. Uma das práticas mais distintivas de sua comunidade, e rejeitada pela maioria dos fundamentalistas, foi o casamento arranjado, provavelmente “derivada da crença” – afirma a historiadora Marianne Watson – “de que a obediência aos líderes do sacerdócio é um requisito para salvação”.

Com o falecimento de Rulon aos 92 anos, em 2002, seu filho Warren assumiu a presidência da organização e iniciou uma reforma social, legislando em prol de um vestuário anacrônico e uniforme, em contraste com o de seus antepassados. O poder de decisão sobre as famílias tornou-se ainda mais forte, com esposas sendo tiradas de um casamento e colocadas em outro, excomunhões de maridos, trabalho juvenil como forma de reeducação moral e a proibição de ex-membros ou não-membros interagirem com filhos e familiares.

Da prisão, Jeffs ainda teria introduzido, no ano passado, um conceito único para a sexualidade de seus seguidores. Segundo a afirmação de Charlenne Jeffs, ex-membro, membros da igreja estariam proibidos de ter relações sexuais. Apenas um grupo seleto de homens, chamados de “portadores da semente“, seria autorizado a fecundar as mulheres.

Com a evasão de membros, profecias não se cumprindo, e o surgimento de uma denominação competidora, veremos como Warren Jeffs responderá a esses e futuros desafios para preservar seu papel de profeta perantes seus milhares de seguidores.


Tube News
Postar um comentário