MULHERES DA BBC EXIGEM FIM DA DISCRIMINAÇÃO SALARIAL COM HOMENS - Tube News

@otubenews

24 julho 2017

MULHERES DA BBC EXIGEM FIM DA DISCRIMINAÇÃO SALARIAL COM HOMENS

O caso surgiu após a divulgação dos salários dos funcionários mais bem pagos da emissora pública, quase todos homens.

Algumas funcionárias da BBC signatárias do abaixo-assinado (Foto: Reprodução/Twitter/@TelegraphNews)


Tube News
Algumas das mais famosas apresentadoras da BBC apresentaram um abaixo-assinado neste domingo (23) pedindo que a emissora britânica "atue" para corrigir a diferença salarial entre os funcionários homens e mulheres. O documento foi enviado para o diretor-geral da BBC, Tony Hall, como protesto após a divulgação pública das remunerações do quadro de seus funcionários.

Na quarta-feira passada, a emissora pública britânica revelou o salário de 96 das suas estrelas, todas elas com remunerações que superam 150 mil libras anuais (cerca de R$ 620 mil), o valor do salário do primeiro-ministro britânico. Entretanto, olhando para os nomes dos funcionários apareceu imediatamente claro que os maiores salários são pagos para homens, o que provocou a insatisfação das apresentadoras.

A própria BBC informou que mais de 40 estrelas ferminas da emissora, como as jornalistas Victoria Derbyshire e Emily Maitlis, assinaram a carta para Lord Hall pedindo uma "correção" desta disparidade de salários. Elas afirmam que estão "dispostas a reunir-se" com Hall para assegurar que "as futuras gerações de mulheres não enfrentem este tipo de discriminação".

As profissionais asseguram que esta situação é algo recorrente há anos, ainda que só agora tenha sido revelada a lista dos funcionários com os salários mais altos.

A lista demonstra "o que muitas de nós suspeitamos durante muitos anos, que as mulheres na BBC recebem menos que os homens para fazer o mesmo trabalho", acrescenta a carta.

Nesse ranking aparece em primeiro lugar o apresentador Chris Evans, do programa "Breakfast Show", que ganha por ano cerca 2,25 milhões de libras (cerca de R$ 9,3 milhões).

Em carta de resposta, Hall respondeu que “espera” conseguir eliminar a disparidade salarial na empresa até 2020.

"Esta é uma época de igualdade e a BBC é uma organização que se orgulha dos seus valores", rebateram as apresentadoras, que exigem ações imediatas e não para 2020.

O caso surgiu após um pedido formal do governo britânico à emissora pública, que foi obrigada a divulgar pela primeira vez na história os salários de seus mais destacados funcionários.

Uma comissão parlamentar propôs em agosto do ano passado que a BBC divulgasse o salário dos seus empregados que ganhassem mais que a primeira-ministra, Theresa May, 143.462 libras (cerca de R$ 590 mil), como forma de melhorar a transparência da emissora.

A única mulher que ocupa um posto no top 10 do mais bem remunerados da emissora é a apresentadora Claudia Winkleman, que ganha entre 400.000 e 450.000 libras ao ano (cerca de R$ 1,6 milhão e R$ 1,8 milhão).


Tube News
Postar um comentário