TRUMP PEDE FIM DO 'POLITICAMENTE CORRETO' APÓS ATAQUES EM LONDRES

Presidente americano criticou anúncio do prefeito de Londres, que pediu calma aos moradores da cidade

O presidente americano Donald Trump ofereceu "apoio total" de Washington após ataque (Kevin Lamarque/Reuters)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu ao mundo para deixar de ser “politicamente correto” para garantir a segurança, depois que três atacantes em uma van atropelaram pedestres e esfaquearam transeuntes em Londres, matando sete pessoas.

Pelo menos 48 pessoas ficaram feridas no ataque, o terceiro na Grã-Bretanha em menos de três meses, antes das eleições parlamentares na quinta-feira.

“Nós devemos parar de ser politicamente corretos e nos concentrar no assunto da segurança para o nosso povo”, escreveu Trump no domingo de manhã. “Se não formos inteligentes, só vai piorar.”

Ele continuou: “Pelo menos 7 mortos e 48 feridos em ataque terrorista e o prefeito de Londres diz que não há ‘motivos para se alarmar!'”.

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, eleito no ano passado, o primeiro muçulmano a liderar uma importante capital ocidental, havia dito que os britânicos não deveriam ficar alarmados ao ver uma maior presença policial nas ruas de Londres após o incidente.

Anteriormente, Trump ofereceu ajuda dos EUA à Grã-Bretanha e promoveu sua controversa proibição de viagem como um nível extra de segurança para os norte-americanos.

“Tudo o que os Estados Unidos podem fazer para ajudar em Londres e no Reino Unido, estaremos lá –NÓS ESTAMOS COM VOCÊS. DEUS ABENÇOE!”, Trump escreveu no sábado.

Trump também falou com a primeira-ministra britânica, Theresa May, para oferecer suas condolências e ofereceu o “apoio total” de Washington para investigar e levar os responsáveis pelo ataque à Justiça, afirmou a Casa Branca em um comunicado.


Um comentário:

  1. Concordo com o senhor presidente Trump. Já está se tornando um estado de negação hipócrita as tentativas de compensação psicológica de se evitar reconhecer que o nacionalismo islâmico está direta e indiretamente ligado ao islamismo. Porém, por outro lado diametral, acho triste que ao se reconhecer isto, alguns muçulmanos possam ser ostracizados e temidos preconceituosamente. As pessoas são dadas ao pragmatismo de categorização ao invés de avaliarem as pessoas individualmente. Mas este politicamente correto encobre o FATO HEDIONDO de que em pleno século de aprendizagem sobre as omissões da morte de judeus durante a Segunda Guerra Mundial, hoje milhares de milhares de cristãos estão sendo esquecidos. Não acho que Trump seja mais mau do que os líderes mundiais que disfarçam isto.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião, sempre com respeito: