'GAME OF THRONES' E '300' INSPIRAM BATALHAS DE 'RICO E LÁZARO' - Tube News

@otubenews

15 março 2017

'GAME OF THRONES' E '300' INSPIRAM BATALHAS DE 'RICO E LÁZARO'

Nova trama bíblica da Record não abriu mão de cenas impactantes logo em sua estreia.


A Batalha dos Bastardos de Game of Thrones e as cenas de guerra do filme 300 serviram de inspiração e referência para  diretor Edgar Miranda, que buscou ao máximo o realismo nas cenas da Batalha de Carquemis, entre egípcios e babilônios.

Construímos o conceito juntos, eu queria que a novela tivesse um referencial mais moderno. Queria que o público se sentisse dentro da batalha, em vez daqueles takes aéreos em que os atores parecem formiguinhas. Muitos takes vão remeter à batalha da sexta temporada de 'GoT'", explica Edgar



Efeitos especiais em cenas de inferno e batalha 
marcaram a estreia de “O Rico e Lázaro”

É sobre uma parábola bíblica, mas pareceu a história de Nabucodonosor, um dos mais poderosos tiranos da Antiguidade. O capítulo de estreia de “O Rico e Lázaro” – nova novela da Record, nessa segunda (13/03) – foi todo sobre ele,com direito a cenas de batalha, coroação e epílogo com narração ao final, explicando de quem se tratava. Heitor Martinez esteve muito seguro no personagem e, parece, renderá boas cenas.

Quem também se destacou foi Victor Hugo, como o profeta Jeremias, o outro foco dessa estreia. Gosto muito do avanço a que chegaram as produções bíblicas da Record, dessa vez com a produtora Casablanca (que também esteve na novela anterior, “A Terra Prometida”). Cenários, figurinos, fotografia e caracterizações visivelmente superiores aos dos tempos de “Os Dez Mandamentos”

O que mais chamou a atenção nessa estreia foram os efeitos especiais, principalmente na sequência da batalha, com muita duplicação de imagem por computador, o que faz, por exemplo, um exército de 50 figurantes parecer dez vezes mamaior. A sequência que abriu o capítulo, mostrando um sofrimento de um homem num suposto inferno, quase beirou a animação de tanto efeito

Foi uma estreia longa: mais de 1 hora sem intervalos comerciais. Mas não foi um capítulo cansativo, o que prova um cuidado na edição. Os próximos prometem, com o suplício de Jeremias.


Postar um comentário